Política

TCE questiona Governo do Estado sobre ações tomadas contra pandemia de coronavírus

O conselheiro Osmar Jeronymo, do TCE (Tribunal de Contas do Estado), encaminhou questionamento à SES (Secretaria de Estado de Saúde) sobre as medidas tomadas pelo Governo do Estado para fazer frente à pandemia de coronavírus (Covid-19). Ofício nesse sentido foi destinado pela Corte de Contas na tarde desta segunda-feira (23) ao Executivo estadual por meio […]

Humberto Marques Publicado em 23/03/2020, às 18h40 - Atualizado em 18/07/2020, às 00h32

Tribunal de Contas do Estado. (TCE/Divulgação)
Tribunal de Contas do Estado. (TCE/Divulgação) - Tribunal de Contas do Estado. (TCE/Divulgação)

O conselheiro Osmar Jeronymo, do TCE (Tribunal de Contas do Estado), encaminhou questionamento à SES (Secretaria de Estado de Saúde) sobre as medidas tomadas pelo Governo do Estado para fazer frente à pandemia de coronavírus (Covid-19). Ofício nesse sentido foi destinado pela Corte de Contas na tarde desta segunda-feira (23) ao Executivo estadual por meio do chefe da Divisão de Fiscalização de Gestão de Saúde do órgão, o auditor Haroldo Oliveira Souza.

O documento pretende conhecer as medidas adotadas contra a pandemia e teve aval do presidente do TCE-MS, conselheiro Iran Coelho das Neves.

Jeronymo, por meio da assessoria, explicou que, entre as informações solicitadas, estão levantamento sobre a quantidade de leitos com respiradores e UTIs disponíveis para atendimento à população por município. O tribunal também pede dados sobre as cautelas adotadas até aqui e ações planejadas para suprir necessidades e insumos necessários para os profissionais de saúde e à população.

Também nesta segunda-feira, em live, o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, informou que pretende montar no interior estruturas provisórias para ajudar no enfrentamento à Covid-19, nos moldes do que é realizado no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, no Parque Ayrton Senna e em unidades de saúde 24 horas de Campo Grande –em parceria com a prefeitura. Ele informou que a aquisição de insumos e equipamentos foi centralizada pelo Ministério da Saúde, com o Estado pleiteando ser contemplado na distribuição.

Jornal Midiamax