Política

Sob nova direção em MS, DC anuncia a 2ª pré-candidatura feminina à Prefeitura de Campo Grande

Médica veterinária e produtora rural é a 2ª mulher e o 17º nome cotado para a disputa de vaga no Executivo municipal.

Humberto Marques Publicado em 21/08/2020, às 14h48

Prefeitura de Campo Grande (Foto: Arquivo)
Prefeitura de Campo Grande (Foto: Arquivo) - Prefeitura de Campo Grande (Foto: Arquivo)

Mais um partido anunciou intenção de disputar a Prefeitura de Campo Grande nas eleições de novembro este ano. A médica veterinária e produtora rural Terezinha de Souza Cândido Silva foi indicada pela DC (Democracia Cristã, o antigo PSDC) como pré-candidata ao Paço Municipal deste ano. Seu nome será defendido em convenção a ser realizada em cerca de duas semanas, conforme a própria Terezinha, que é presidente municipal da legenda.

Com esse anúncio, sobe para 17 a lista de pré-candidatos a prefeito de Campo Grande, com apenas duas mulheres dispostas a concorrerem –além de Terezinha, a psicóloga Cris Duarte foi colocada como pré-candidata pelo Psol, que também indicou a líder indígena Val Eloy como pré-candidata a vice.

Diferente da chapa do Psol, porém, Terezinha ainda não tem um vice definido –a escolha também deve ficar para a convenção da DC, que acontecerá de forma virtual a partir de 31 de agosto (data prevista pela legislação eleitoral para início da realização dos eventos, que vão até 16 de setembro). “Devemos realizar em 15 dias ou um pouco mais”, disse Terezinha.

A presidente municipal da DC está no partido desde dezembro, segundo ela, como sua primeira participação em um partido. A filiação também faz parte de um projeto de reestruturação da agremiação, presidida em Mato Grosso do Sul pelo advogado Humberto Figueiró.

A intenção, aliás, é de lançar apenas a chapa majoritária, não disputando vagas na Câmara Municipal. “Não queremos pegar um monte de candidatos, jogar no partido e lançar de qualquer jeito”, afirmou. “Nossa intenção é de dar uma cara nova ao partido, fazendo uma renovação até na postura, realmente”, destacou.

Médica veterinária e produtora rural é a 2ª mulher e o 17º nome cotado para a disputa de vaga no Executivo municipal
Terezinha Silva é a presidente municipal da DC. (Foto: Divulgação)

Terezinha foi presidente do Sindicato Rural de Coxim e integrou a direção da Famasul, além de ter atuado como coordenadora do Senar. Ela reforça que a DC manifestou intenção de valorizar a presença da mulher na política, daí a intenção em ter uma candidatura feminina ao Executivo de Campo Grande.

“Já somos mais de 52% dos votos. Entendo que a mulher tem relevância dentro do contexto político, mas nunca participa”, afirmou. “Queremos essa quebra de paradigma”, prosseguiu.

Com a confirmação, chega a 17 o total de pré-candidatos a prefeito em Campo Grande. Além de Terezinha Silva e Cris Duarte, tiveram os nomes cotados para a corrida sucessória o atual prefeito, Marquinhos Trad (PSD, que deverá tentar a reeleição), o advogado Sérgio Murilo (Podemos), o engenheiro e advogado Marcelo Bluma (PV), o advogado Wilton Acosta (Republicanos), o empresário Guto Scarpanti (Novo), o advogado Mario Fonseca (PC do B), o produtor rural Paulo Matos (PSC), o deputado estadual João Henrique Catan (PL), o deputado estadual Pedro Kemp (PT), o deputado estadual Márcio Fernandes (MDB), o promotor de Justiça Sérgio Harfouche (Avante), o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), o advogado Esacheu Nascimento (Progressitas), o vereador Vinicius Siqueira (PSL) e o engenheiro Marcelo Miglioli (SD).

O PSDB negocia apoiar a reeleição de Marquinhos Trad, porém, o nome do deputado federal Beto Pereira já foi citado como pré-candidato.

Jornal Midiamax