Política

Simone Tebet irá disputar presidência do Senado em 2021

A senadora Simone Tebet (MDB) irá concorrer à presidência do Senado, em fevereiro de 2021. A informação foi confirmada pela assessoria da parlamentar. Segundo informado ao Jornal Midiamax, a senadora  já comunicou pessoalmente ao líder da bancada, Eduardo Braga (MDB-AM) e ao atual presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AP) de que é candidata ao comando […]

Fábio Oruê Publicado em 15/12/2020, às 15h18 - Atualizado em 16/12/2020, às 08h11

Senadora Simone Tebet, do MDB de Mato Grosso do Sul (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)
Senadora Simone Tebet, do MDB de Mato Grosso do Sul (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado) - Senadora Simone Tebet, do MDB de Mato Grosso do Sul (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)

A senadora Simone Tebet (MDB) irá concorrer à presidência do Senado, em fevereiro de 2021. A informação foi confirmada pela assessoria da parlamentar.

Segundo informado ao Jornal Midiamax, a senadora  já comunicou pessoalmente ao líder da bancada, Eduardo Braga (MDB-AM) e ao atual presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AP) de que é candidata ao comando do Legislativo em 2021. Amanhã (16) haverá reunião na Executiva do MDB.

Em 2019, Tebet lançou uma candidatura, em oposição a Renan Calheiros (MDB-AL), mas abriu mão para apoiar Alcolumbre. A senadora pode enfrentar resistências dentro do próprio partido, segundo publicou o Estadão. Braga e Eduardo Gomes (MDB-TO), estes aliados do governo Bolsonaro, também são apontados como candidatos.

Na disputa pela presidência do Senado, a senadora pode atrair ex-aliados de Alcolumbre, como integrantes do “Muda, Senado”, grupo que faz oposição interna ao atual presidente, e outras lideranças, como Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Líderes do Senado

Tebet é a favorita entre as principais lideranças do Congresso Nacional para a sucessão de Davi Alcolumbre na presidência do Senado.

Segundo levantamento do portal Congresso em Foco com 71 parlamentares, Simone foi citada seis vezes como senadora com mais chances de assumir o comando da Casa. O colega de MDB Eduardo Gomes foi o segundo mais lembrado, com cinco menções.

A possibilidade de disputar a presidência do Senado volta a se abrir para Simone depois de o STF (Supremo Tribunal Federal) barrar de vez a reeleição de Alcolumbre.

Jornal Midiamax