Política

Republicanos defendem chapa pura em Dourados com farmacêutico e bispo na linha de frente

Lançado ainda no final do ano passado, o farmacêutico Racib Panage Harb quer ser o remédio do Republicanos para conquistar a Prefeitura de Dourados. Além dele, o partido também tem fé no nome do bispo Marcos Vitor, que foi candidato a vice-governador na chapa do juiz Odilon de Oliveira. “Já está tudo certo. Só falta […]

Marcos Morandi Publicado em 28/07/2020, às 11h07 - Atualizado às 12h03

Farmacêutico diz que vai usar a verdade na campanha. (Foto: Reprodução/Redes sociais).
Farmacêutico diz que vai usar a verdade na campanha. (Foto: Reprodução/Redes sociais). - Farmacêutico diz que vai usar a verdade na campanha. (Foto: Reprodução/Redes sociais).

Lançado ainda no final do ano passado, o farmacêutico Racib Panage Harb quer ser o remédio do Republicanos para conquistar a Prefeitura de Dourados. Além dele, o partido também tem fé no nome do bispo Marcos Vitor, que foi candidato a vice-governador na chapa do juiz Odilon de Oliveira.

“Já está tudo certo. Só falta passar pelas convenções para que a gente possa de fato colocar a nossa campanha na rua e mostrar a verdade para a população de Dourados”, comenta o farmacêutico, que ficou conhecido por encabeçar pedidos de cassação de vereadores denunciados na Operação Cifra Negra.

Segundo Racib o projeto de construir uma candidatura independente dos grupos políticos de  Dourados não é de agora e começou a ganhar corpo em 2012. “Essa nossa candidatura representa quase que uma alforria desses grupos que estão instalados hoje na cidade com os caciques””, afirma o pré-candidato dos Republicanos.

Para o farmacêutico o próximo pleito eleitoral também significa uma oportunidade para a população colocar em prática uma proposta de mudança na velha forma de fazer política. “Os eleitores terão opções de escolha de novas lideranças ou continuar com a mesmice”,  comenta o pré-candidato, de olho na eleição de alguns vereadores já que  a legenda deve lançar 29 nomes.

Racib avalia que o eleitorado de Dourados precisa quebrar o sistema político existente na cidade que predomina há décadas.  “Se você pegar lá atrás, quando o Braz Mello foi prefeito, Murilo (vice-governador) já era secretário dele. Seu Roberto (marido de Délia) já era deputado, junto com o Zé Teixeira”, lembra o pré-candidato.

“Vamos enfrentar o poder econômico com a verdade, honestidade e transparência. Sabemos que a gente não passa nem perto da possibilidade que eles têm. O candidato do Governo do Estado vai estar do outro lado, da prefeita também”, ressaltando que a leitura sobre os adversários porque eles ainda não estão totalmente definidos.

Entretanto, Racib também acredita que pode haver uma união de forças do “velhos caciques” para viabilizar um nome que seja ungido pelas bençãos das máquinas administrativas. “Eles já estão falando em candidatura de coalizão. Unir todas as forças já virou praxe aqui em Dourado, mas gente vai enfrentar todos eles com muita coragem, pé no chão e falando a verdade para os eleitores, sem promessa e só com compromissos”.

Sem recursos para a campanha o farmacêutico também aposta nas redes sociais não só para conseguir votos, mas também para arrecadar fundos. Ele foi o primeiro da cidade a elaborar uma vaquinha virtual. “Até agora somos o único a fazer isso aqui em Dourados. Até porque o Barbosinha (DEM) não precisa de nenhuma vaquinha né”, comenta Racib.

Jornal Midiamax