Política

Neta de fundadora do PT é vereadora mais jovem e médico veterano o mais velho eleitos em Campo Grande

No grupo dos 29 vereadores eleitos em 2020, a mais nova entre todos é uma mulher de 25 anos, neta da fundadora do PT, Camila Jara. Ela dividirá o plenário da Câmara Municipal com Dr. Loester, do MDB, mais velho entre os parlamentares, com 73 anos. Ambos, além dos 27 parlamentares, assumem mandato para qual […]

Mayara Bueno Publicado em 16/11/2020, às 09h24 - Atualizado em 17/11/2020, às 09h11

Bancada de Campo Grande eleita em 2020. Vereadores assumem em 1º de janeiro de 2021. (Arte: Deyvid Guimarães/Jornal Midiamax).
Bancada de Campo Grande eleita em 2020. Vereadores assumem em 1º de janeiro de 2021. (Arte: Deyvid Guimarães/Jornal Midiamax). - Bancada de Campo Grande eleita em 2020. Vereadores assumem em 1º de janeiro de 2021. (Arte: Deyvid Guimarães/Jornal Midiamax).

No grupo dos 29 vereadores eleitos em 2020, a mais nova entre todos é uma mulher de 25 anos, neta da fundadora do PT, Camila Jara. Ela dividirá o plenário da Câmara Municipal com Dr. Loester, do MDB, mais velho entre os parlamentares, com 73 anos. Ambos, além dos 27 parlamentares, assumem mandato para qual foram eleitos no domingo (15) em 1º de janeiro de 2021.

Somente 12 vereadores foram reeleitos, o restante assume vaga no parlamento pela primeira vez, mas também há os que retornaram ao Legislativo municipal após lacuna longe do parlamento. É o caso de Jamal Mohamed Salem, conhecido como Dr. Jamal (MDB), que retorna à Câmara Municipal depois de quatro anos. Ele tem 62 anos, é médico e ex-secretário de Saúde.

Com ele, Ademar Vieira Junior, nas urnas, Coringa (PSD), retoma também a vida de parlamentar em 2021, com 42 anos. Ele foi subsecretário de Direitos Humanos gestão de Marquinhos Trad, reeleito com 52,58% dos votos.

Eleitos em 2020

Tiago Vargas, o mais votado neste pleito eleitoral com 6.202 votos, tem 32 anos. Ele é ex-policial civil que ficou conhecido após criticar a corrupção em Mato Grosso do Sul e por acusar o governador do estado, Reinaldo Azambuja (PSDB) de perseguição. A diferença dele para o segundo mais votado são 1.366 votos.

Atual primeiro-secretário da Casa de Leis, o vereador Carlos Augusto Borges, do PSB, conhecido como Carlão tem 55 anos, foi reeleito com 4.836 votos e é natural de Pedro Gomes.

Aos 50 anos, José Jacinto de Luna Neto se apresentou  nas urnas como Zé da Farmácia, e ganhou neste ano com 4.680 votos. A primeira tentativa foi em 2016, quando não conseguiu votos suficientes para assumir mandato na Câmara Municipal de Campo Grande. Não informou a ocupação no Divulgacand, sistema do TRE que divulga dados sobre os candidatos.

João César Mattogrosso está no time dos reeleitos. Com 38 anos, ele é presidente do PSDB de Campo Grande e começará em 2021 o seu segundo mandato como vereador. Nas urnas, recebeu 4.209 votos.

Estreia no Legislativo municipal também Juari Lopes Pinto, nas urnas, Professor Juari, do PSDB. Tem 42 anos e é natural de Rondonópolis, no Mato Grosso. Ele busca mandato como vereador desde 2012 e agora foi eleito com 4.199 votos.

Do Republicanos, Gilmar da Cruz tem 62 anos e levou 4.195 votos. Natural de Poá, SP, formado em Gestão Pública, já foi vereador em outras duas ocasiões, além de ter sido suplente.

João Rocha, do PSDB, é o presidente do Câmara Municipal de Campo Grande e tem 63 anos. Professor e ligado ao esporte, o parlamentar tem sido eleito desde 2004. Recebeu 4.157 votos no domingo.

Silvio Eduardo Alves Pena é do DEM e na Câmara Municipal será chamado de Silvio Pitu. Ele tem 36 anos e disputou pela primeira vez em 2016, mas não foi eleito na ocasião. Nas urnas, recebeu 4.117 votos.

No time dos professores, tem Riverton Francisco de Souza, do DEM. Ele carrega o nome a titulação em seu nome de urna e tem 41 anos. De Campo Grande, o vereador eleito é professor do Ensino Fundamental, segundo o registro de candidatura na Justiça Eleitoral. Se elegeu com 3.987 votos.

Valdir Gomes, do PSD, foi reeleito com 3.920 para o seu segundo mandato consecutivo. Também é professor e, em 2016, se elegeu pelo PP e tem 67 anos. Do mesmo partido, Otávio Trad é advogado e vai iniciar no ano que vem seu terceiro mandato – recebeu 3.861 votos em 2020 – e tem 35 anos.

Roberto Avelar é do PSD e tem 56 anos. Advogado, Beto Avelar, nome que apareceu nas urnas, foi adjunto na Funsat (Fundação Social do Trabalho) no primeiro mandato de Marquinhos Trad, deixando o cargo apenas para disputar as eleições 2020. Esta também não foi a primeira tentativa. Tentou em 2016, quando fazia parte do PDT e, agora, se elegeu com 3.750.

Do Patriota, partido que estreia na Câmara Municipal no próximo ano, Eduardo Lopes Miranda, conhecido como Edu Miranda, tem 58 anos. Ele é natural de Terenos e, no Divulgacand, aponta ocupação ‘de cargo em comissão’. Tenta ser eleito vereador desde 2008, passando pelos partidos PMN, PSD e PHS. Foi eleito com  2.986 votos.

No time dos mais novos, também está Willian Maksoud. Aos 30 anos, foi reeleito vereador pelo PTB com 3.653 votos. Em 2016, sua primeira eleição, era o vereador mais jovem da Câmara Municipal de Campo Grande.

Betinho (Republicanos) recebeu 3.498. Aos 40 anos, tem ensino superior e disputa eleições desde 2010, mas foi eleito vereador em 2016. Ficou na suplência em 2018, quando tentou vaga na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

Mais jovem da Câmara, Camila Jara tem 25 anos e é neta da fundadora do PT, Narcisa Canhede Jara, conhecida como Dona Narcisa. Em seu perfil no Facebook se apresenta como ativista da defesa da educação pública, de igualdade de oportunidades e dos direitos das mulheres. Idealizou o Coletivo Elas Podem e Líder Vamos Juntas e essa foi a primeira tentativa em uma eleição – ela recebeu 3.470.

Mais vereadores eleitos

Clodoilson dos Santos Pires é do Podemos e recebeu aval de 2.979 eleitores no domingo. Pastor, tem 55 anos e é de Aquidauana e disputou em 2016, para o mesmo cargo, mas pelo Republicanos.

Médico de 46 anos, Sandro Benites também foi eleito em 2020. Nas urnas, seu nome foi Dr. Sandro Benitez e assim que será nominado  na bancada do Patriota. De Campo Grande, o parlamentar eleito atua no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul e recebeu 2.873 votos.

Dr. Loester (MDB) tem 73 anos, o mais velho da Câmara Municipal de Campo Grande. Foram 2.861 votos na eleição de domingo. Médico, ele é natural de Guia Lopes da Laguna.

Com 48 anos, Marcos Tabosa, presidente licenciado do Sindicato dos Servidores Municipais, foi eleito pelo PDT na segunda tentativa de chegar à Câmara Municipal de Campo Grande. Também da Capital, o novo vereador é servidor público e levou  2.199 votos.

Do PT, Ayrton Araújo recebeu 2.167 votos. Tem 59 anos de idade é foi reeleito neste ano. Até então, era o único petista e, a partir do próximo ano, compartilhará a bancada com Camila Jara.

O Legislativo terá mais um médico com Victor Rocha Pires de Oliveira, cujo nome na urna é Dr. Victor Rocha. Tem 40 anos e é do PP. Segundo o Divulgacand, este ano foi a primeira vez que o agora eleito disputou pleito eleitoral, com  2.163 votos.

Na bancada do Podemos, partido que também estreia na Câmara Municipal, Ronilço Cruz de Oliveira, ou Ronilço Guerreiro, tem 52 anos e é psicólogo. Desde 2012 tenta se eleger para vereador ou deputado estadual. Nas urnas, 2.059 eleitores o apoiaram.

Único eleito do PSL, Alírio Villassanti Romero já tentou outras vezes e, em 2020, conseguiu entrar na Câmara Municipal com xx votos, aos 54 anos. É policial militar e natural de Porto Murtinho. Recebeu 1.954 votos.

No time dos professores, Andre Luiz Soares da Fonseca é do Rede e tem 58 anos. De Uberlândia, MG, o eleito é servidor público federal e também disputa eleições desde 2012, para vereador e deputado estadual. Nas urnas, recebeu aval de 1.910eleitores.

Atual vereadora, Dharleng Campos (MDB) teve 1.782. Aos 48 anos, chega ao segundo mandato na Câmara. Ela é administradora e, na primeira eleição, concorreu pelo PP.

Jornal Midiamax