Política

Mostramos que é possível fazer campanha isenta, diz candidato Guto Scarpanti após votação

Após votar, o candidato a prefeito de Campo Grande Guto Scarpanti (Novo) afirma que as eleições 2020 iniciam ‘uma nova história’ na cidade. Destacou que não usou recurso do fundo eleitoral para campanha e mostrou que ‘é possível’. “Esse recurso deve ser destinado para outras áreas. Conseguimos provar que é possível, por meio de doações, […]

Mayara Bueno Publicado em 15/11/2020, às 16h12 - Atualizado às 16h48

Guto Scarpanti, do Partido Novo. (Foto: Divulgação/Assessoria).
Guto Scarpanti, do Partido Novo. (Foto: Divulgação/Assessoria). - Guto Scarpanti, do Partido Novo. (Foto: Divulgação/Assessoria).

Após votar, o candidato a prefeito de Campo Grande Guto Scarpanti (Novo) afirma que as eleições 2020 iniciam ‘uma nova história’ na cidade. Destacou que não usou recurso do fundo eleitoral para campanha e mostrou que ‘é possível’.

“Esse recurso deve ser destinado para outras áreas. Conseguimos provar que é possível, por meio de doações, cpf´s que acreditam nas nossas ideias e fizeram com que fosse possível fazer uma campanha isenta, sem vínculo com grupo de poder”, afirmou o candidato.

A maioria dos candidatos votou na manhã deste domingo, agora aguarda o fim da votação e, posteriormente, resultado da votação. Guto votou na Escola Municipal Arlindo Lima, na Rua Barão do Rio Branco.

DATAmax

A segunda pesquisa DATAmax de intenção de votos para prefeito de Campo Grande, divulgada na sexta-feira (13) aponta que o prefeito Marquinhos Trad (PSD), candidato à reeleição, tem 62% dos votos válidos. Se a eleição fosse hoje, Marquinhos seria reeleito no primeiro turno. Levando em conta a margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, Marquinhos oscila entre 59% a 65% na liderança.

Em segundo lugar na intenção de votos do eleitor está Sergio Harfouche (Avante) com 8%, seguido de Pedro Kemp (PT) com 7%, Vinicius Siqueira (PSL) com 5%, Delegada Sidnéia Tobias (Podemos) com 5%, Dagoberto Nogueira (PDT) com 3%, Márcio Fernandes (MDB) com 3%, João Henrique (PL) com 2%, Marcelo Miglioli (SD) com 2%, Esacheu Nascimento (PP) com 1%, Marcelo Bluma (PV) com 1%, Paulo Matos (PSC) com 1% e Guto Scarpanti (Novo) com 1%.

Os candidatos Cris Duarte (PSOL), Thiago de Carvalho Assad (PCO) e Trutis (PSL) não pontuaram na pesquisa.

Até o momento, as candidaturas de Sergio Harfouche, Trutis e Thiago Assad estão indeferidas pela Justiça Eleitoral, o que significa que mesmo que os candidatos apresentem recursos em instâncias superiores, suas candidaturas ficam como sub judice. Nesses casos, os votos só são contabilizados posteriormente em caso de liberação da candidatura.

Com margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, a pesquisa DATAmax ouviu 1000 pessoas entre os dias 11 e 13 de novembro. O critério da pesquisa é estimulada, quando nomes dos candidatos são apresentados para os entrevistados e o grau de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob o número MS 03916/2020.

Jornal Midiamax