Política

Após flagrantes de passageiros em pé, Marquinhos cogita rever medidas dos ônibus

No primeiro dia após a volta dos ônibus em Campo Grande, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) contou que a gestão recebeu denúncias de passageiros sendo transportados em pé. Conforme o prefeito, a situação do transporte coletivo urbano na Capital terá que ser revista caso não sejam cumpridas as normas de distanciamento social para evitar a […]

Danúbia Burema Publicado em 06/04/2020, às 17h04 - Atualizado em 07/04/2020, às 12h52

(Reprodução)
(Reprodução) - (Reprodução)

No primeiro dia após a volta dos ônibus em Campo Grande, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) contou que a gestão recebeu denúncias de passageiros sendo transportados em pé. Conforme o prefeito, a situação do transporte coletivo urbano na Capital terá que ser revista caso não sejam cumpridas as normas de distanciamento social para evitar a propagação do novo coronavírus COVID-19.

“Estamos recebendo inúmeras denúncias de pessoas que não estão obedecendo e se aglomerando, umas embarcando mesmo o motorista do transporte coletivo orientando, e indo numa viagem em pé”, contou, durante transmissão feita em suas redes sociais na tarde desta segunda-feira (6).

Dentre as medidas restritivas para retomada do serviço, a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) determinou que todos os passageiros deverão viajar sentados e, caso alguém insista, o motorista poderá se recusar a seguir o trajeto. Mas, conforme o prefeito, a situação na prática foi diferente do orientado, inclusive por insistência de alguns dos próprios passageiros.

“Se isso continuar a acontecer, nós vamos rever a posição do transporte coletivo. Não é possível que diante do cenário catastrófico que nós estamos vendo, ainda não se conscientizaram. Ainda não tocou o seu coração de que esse vírus é letal sim, é traiçoeiro, é perigoso e nós não temos um sistema de saúde público capaz de enfrentar uma crescente da noite para o dia, ou de uma semana para a outra ou de uma quinzena para a outra dentro da nossa cidade”, adiantou.

Na transmissão, ele lembrou que o toque de recolher das 22h às 5h continua vigente e listou os estabelecimentos que não poderão retomar as atividades até o dia 6 de maio – dentre eles escolas públicas e particulares, salões de festas, boates e clubes. 

Até lá, também não serão devolvidos os benefícios de passe do idoso e do estudante. Marquinhos lembrou ainda que a prefeitura conta com mais de 450 fiscais nas ruas, para dar à população a segurança necessária de que serão cumpridas as medidas restritivas. Confira a íntegra da transmissão:

Posted by Marquinhos Trad on Monday, April 6, 2020

Jornal Midiamax