Política

Fila zero: Hospital do Câncer terá mutirão para 253 pacientes de radioterapia

O Hospital do Câncer Alfredo Abrão, que administra os contratos de radioterapia do SUS (Sistema Único de Saúde), fará mutirão neste final de semana para zerar a fila de 253 pacientes que aguardam pelo serviço de radioterapia. “A partir desse final de semana via zerar os pacientes de Campo Grande e, a partir da semana […]

Danúbia Burema Publicado em 07/02/2020, às 17h28 - Atualizado às 17h31

Hospital é equipado com verba pública e concentra tratamento do câncer via SUS. (Divulgação)
Hospital é equipado com verba pública e concentra tratamento do câncer via SUS. (Divulgação) - Hospital é equipado com verba pública e concentra tratamento do câncer via SUS. (Divulgação)

O Hospital do Câncer Alfredo Abrão, que administra os contratos de radioterapia do SUS (Sistema Único de Saúde), fará mutirão neste final de semana para zerar a fila de 253 pacientes que aguardam pelo serviço de radioterapia.

“A partir desse final de semana via zerar os pacientes de Campo Grande e, a partir da semana que vem, essa é a promessa, que nós não teremos nenhum paciente de Campo Grande na fila de radioterapia”, detalhou o secretário municipal de Saúde, José Mauro.

Fila zero: Hospital do Câncer terá mutirão para 253 pacientes de radioterapia
Secretário participou de solenidade na Cândido Mariano nesta tarde. (Leonardo de França, Midiamax)

De acordo com ele, a ação integra programa de três etapas de ação: oferecimento de radioterapia, de médicos radioterapeutas e exames diagnósticos. “Esse programa é baseado nessas três necessidades que têm que atuar em conjunto. O hospital tem condições de ofertar mais radioterapia”, ressaltou.

Segundo o secretário, outras ações estão sendo analisadas, como a ampliação dos trabalhos em terceiro turno de atendimento e aos finais de semana, com os fornecedores já atuantes.

Sobre a formação da fila, ele destacou que a todo momento os pacientes eram encaminhados e não conseguiam completar o tratamento. Agora, eles passarão por nova triagem e avaliação para verificar qual a necessidade atual.

Ele lembrou da necessidade de cumprir a exigência sobre o tratamento, cujo início deve ocorrer em média em 28 dias, com tolerância de até 60 dias. Decisão liminar na Capital já estipulou até multa de R$ 40 mil em caso de descumprimento da orientação.

Jornal Midiamax