Política

Estamos em pandemia generalizada, lamenta Romero após saída de Moro

Aos poucos, avalia o vereador Eduardo Romero (Rede), quadros de referências estão saindo de seus postos, aumentando a instabilidade política. A fala é reação ao discurso do agora ex-ministro de Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que anunciou a demissão do cargo nesta sexta-feira (24). “Na saúde, na segurança. Isso aumenta a insegurança e instabilidade […]

Mayara Bueno Publicado em 24/04/2020, às 12h53

Vereador Eduardo Romero. (Foto: Izaías Medeiros, Divulgação, Arquivo).
Vereador Eduardo Romero. (Foto: Izaías Medeiros, Divulgação, Arquivo). - Vereador Eduardo Romero. (Foto: Izaías Medeiros, Divulgação, Arquivo).

Aos poucos, avalia o vereador Eduardo Romero (Rede), quadros de referências estão saindo de seus postos, aumentando a instabilidade política. A fala é reação ao discurso do agora ex-ministro de Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que anunciou a demissão do cargo nesta sexta-feira (24).

“Na saúde, na segurança. Isso aumenta a insegurança e instabilidade política, o que interfere em todos os campos. Na economia, na política, em toda sociedade. Estamos em uma pandemia generalizada”. Na semana passada, Luiz Henrique Mandetta (DEM/MS) foi demitido do Ministério da Saúde, em meio à pandemia de coronavírus (Covid-19).

Na manhã de hoje, Moro convocou entrevista e pediu desculpas por fazer a coletiva durante a pandemia. ‘Não foi por minha opção’, explicou ao anunciar a demissão. Moro ainda criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro em não deixá-lo nomear o chefe da Polícia Federal.

Em outro trecho da coletiva, Moro criticou a falta de autonomia da Polícia Federal na gestão de Bolsonaro. “Foi garantida a autonomia da Polícia Federal durante as investigações. O governo da época [Dilma Rousseff, PT] tinha inúmeros defeitos, crimes de corrupção, mas foi fundamental a manutenção da autonomia da PF para que fosse realizado o trabalho.”

Jornal Midiamax