Política

Ativistas alertam deputados sobre Projeto de Reinaldo para desmatar Parque dos Poderes

O grupo que visa impedir o desmatamento de áreas dentro do Parque dos Poderes se reuniu nesta terça-feira (4) com deputados estaduais para buscar uma forma de barrar a situação, encabeçada pelo Governo do Estado, e alertar para os problemas de enchentes e até aumento de temperatura que a cidade pode sofrer como consequência desse […]

Nyelder Rodrigues Publicado em 04/02/2020, às 17h37 - Atualizado em 05/02/2020, às 09h05

(Divulgação, MPMS)
(Divulgação, MPMS) - (Divulgação, MPMS)

O grupo que visa impedir o desmatamento de áreas dentro do Parque dos Poderes se reuniu nesta terça-feira (4) com deputados estaduais para buscar uma forma de barrar a situação, encabeçada pelo Governo do Estado, e alertar para os problemas de enchentes e até aumento de temperatura que a cidade pode sofrer como consequência desse desmate.

A intenção do governador Reinaldo Azambuja é ampliar o total de vagas de estacionamento já existente, o que na opinião de ambientalistas e demais defensores do meio ambiente, vai na contramão do que é visto pelo mundo, onde o transporte coletivo ou sustentável está ganhando prioridade diante do transporte individual à combustão.

“Nosso objetivo foi sensibilizar os deputados para que eles conversem com seus colegas e revoguem os trechos do artigo 6º da lei 5.237/18, que cria o Complexo do Parque dos Poderes”, diz a coordenadora do Advogados pela Democracia, Giselle Marques.

A advogada frisa que a lei diz ser de proteção e a maioria do texto vai nesse sentido, mas uma parte dele autoriza o desmatamento do Parque dos Poderes. “Essa lei dá suporte para o Governo fazer o desmatamento. Nossa tentativa é sensibilizar os parlamentares para revisar esses trechos. Se isso acontecer, o Parque estará protegido”.

Participaram do encontro os deputados Lucas de Lima (SD), Capitão Contar (PSL), Pedro Kemp (PT) e Cabo Almi (PT). Felipe Orro (PSDB) também foi convidado, mas não compareceu, diz Giselle. “Eles se comprometeram a conversar com os demais deputados e devem construir um entendimento sobre isso, apresentando projeto com essa demanda”, conta.

Problemas podem aumentar e refletir diretamente na população

Um dos problemas que pode afetar Campo Grande com o desmatamento da vegetação nativa da região, apontam laudos apresentados pelo SOS Parque dos Poderes, é a criação de bolsões de calor na cidade, aumento consideravelmente a temperatura em toda ela.

Ativistas alertam deputados sobre Projeto de Reinaldo para desmatar Parque dos Poderes
Deputados e grupo de ativistas reunidos na Assembleia Legislativa (Divulgação)

Outra situação são as enchentes, que devem se agravar em Campo Grande, especialmente no entorno da região do Prosa, atingindo em cheio a avenida Nelly Martins, conhecida como Via Parque, e que no início da década já passou por grandes transtornos nesse sentido.

Além disso, o assoreamento do Parque das Nações Indígenas, problema que ainda está sendo solucionado, deve se agravar caso haja mais desmatamento nas áreas de preservação do Parque dos Poderes, conforme planeja a gestão de Reinaldo.

Atualmente, a questão está judicializada e também é alvo de acompanhamento pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), que já ingressou com ação e até conseguiu uma liminar impedindo a gestão estadual de executar tais projetos, mas a mesma foi derrubada pelo TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

O ‘pequeno caos ambiental’ na cidade também afetaria a fauna que existe no local onde ocorrerá o desmatamento, podendo chegar a níveis irreversíveis ou de reversão muito difícil. O mesmo grupo que se encontrou com os deputados também propôs o tombamento de todo o Parque dos Poderes, procedimento que está em tramite.

Ato de conscientização no Centro

Paralelamente ao trabalho com visitas aos deputados e ações judiciais, o grupo também tenta conscientizar a população sobre o que está acontecendo na cidade atualmente e o quanto tais mudanças podem prejudicar a todos em breve.

No sábado (1), foi realizado um evento na esquina da rua Barão do Rio Branco com a rua 14 de Julho, no Centro de Campo Grande, e que abordou justamente essa questão. Já para o próximo sábado (8), está previsto outro encontro no mesmo local, a partir das 10h. O ‘Ato em Defesa do Parque dos Poderes’ contará também com várias atrações musicais.

Jornal Midiamax