Política

Em Miranda, candidato a prefeito mais ‘rico’ declarou só R$ 3 mil à Justiça Eleitoral

Uma motocicleta, de Zé Lopes (PV), foi o único bem declarado à Justiça Eleitoral entre os candidatos à prefeitura de Miranda nestas eleições.

Jones Mário Publicado em 31/10/2020, às 07h30 - Atualizado às 12h56

Edson Moraes, Bell do Salão e Zé Lopes, candidatos em Miranda (Fotos: Reprodução/Facebook)
Edson Moraes, Bell do Salão e Zé Lopes, candidatos em Miranda (Fotos: Reprodução/Facebook) - Edson Moraes, Bell do Salão e Zé Lopes, candidatos em Miranda (Fotos: Reprodução/Facebook)

Em Miranda, distante 205 quilômetros de Campo Grande, apenas três candidatos disputam as eleições para prefeito. Apenas um deles declarou patrimônio à Justiça Eleitoral.

Zé Lopes, candidato pelo PV, alegou ter R$ 3 mil em seu nome. O bem é uma motocicleta. Em relação às últimas eleições que disputou, em 2018, para deputado estadual, o patrimônio do trabalhador rural despencou. Há dois anos ele declarou ter um carro de R$ 60 mil.

Candidato à reeleição, Edson Moraes (PSDB) não prestou contas de bens à Justiça Eleitoral. O mesmo foi feito na eleição suplementar de 2019, bem como nos pleitos de 2012 e 2016, quando se elegeu vereador.

Segundo portal da Transparência de Miranda, Moraes recebe salário bruto de R$ 24.636,00.

Bell do Salão, postulante ao Executivo municipal pelo Podemos, também não declarou patrimônio. Em 2008, única eleição que participou antes da atual, a cabeleireira também ignorou o campo ao se registrar na Justiça Eleitoral.

Eleitorado em Miranda

De acordo com dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Miranda tem 19.013 eleitores aptos a votar este ano. Em relação às eleições de 2016, o município na região pantaneira perdeu 560 votantes.

O pleito de 2020 foi adiado em função da pandemia de novo coronavírus e, portanto, será no dia 15 de novembro. Além disso, o horário de votação foi estendido em uma hora – vai das 7h às 17h.

Jornal Midiamax