Política

Em 1ª transmissão remota, Câmara de Campo Grande discute protocolo contra coronavírus

A Câmara Municipal de Campo Grande faz, nesta quarta-feira (15), a primeira transmissão da Comissão Especial criada para discutir ações sobre o coronavírus, de forma remota, com participantes em suas casas. A experiência é forma de teste para que, caso a doença avance ainda mais no municípios, os vereadores adotem de forma definitiva, até o […]

Mayara Bueno Publicado em 15/07/2020, às 10h14

Live ocorre de forma remota com convidados. Na imagem, Dr. Mauri explica que retirou a máscara apenas por estar sozinho em casa. (Foto: Reprodução, Live).
Live ocorre de forma remota com convidados. Na imagem, Dr. Mauri explica que retirou a máscara apenas por estar sozinho em casa. (Foto: Reprodução, Live). - Live ocorre de forma remota com convidados. Na imagem, Dr. Mauri explica que retirou a máscara apenas por estar sozinho em casa. (Foto: Reprodução, Live).

A Câmara Municipal de Campo Grande faz, nesta quarta-feira (15), a primeira transmissão da Comissão Especial criada para discutir ações sobre o coronavírus, de forma remota, com participantes em suas casas. A experiência é forma de teste para que, caso a doença avance ainda mais no municípios, os vereadores adotem de forma definitiva, até o fim da pandemia, sessões remotas.

Até então, os parlamentares fazem sessões ordinárias no prédio do Legislativo municipal, mas sem a presença de imprensa e população. A medida foi adotada para diminuir a aglomeração no local. O assunto desta quarta é o protocolo precoce de atendimento a pacientes com coronavírus.

Participam a superintendente da rede de assistência da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Ana Paula Resende, os médicos Mauri Comparin, Sandro Benitez, secretário Executivo do Conselho Municipal de Saúde, Josimar Cavalã, a coordenadora Maria Auxiliadora, além dos vereadores Eduardo Romero (Rede) e Lívio Viana (PSDB).

A Câmara entra de recesso a partir de quinta-feira (16) e voltam em 4 de agosto, mas, durante este período, os vereadores ficarão de prontidão para fazer sessões, caso seja necessário, diante do avanço do coronavírus.

Jornal Midiamax