Política

Desgasta ainda mais a imagem do Governo, diz vereador sobre operação da PF em Corumbá

“Desgasta ainda mais a imagem do governo”, afirmou o vereador de Corumbá Gabriel Alves de Oliveira (PSD) e candidato ao Paço Municipal sobre a Operação Offset, desencadeada nesta terça-feira (6) pela PF (Polícia Federal), que apura fraude em contratos entre a Prefeitura de Corumbá e empresas de engenharia. Márcio Aguilar Iunes, irmão do prefeito Marcelo […]

Mayara Bueno Publicado em 06/10/2020, às 10h17 - Atualizado às 15h18

Gabriel Alves, à esquerda, com o candidato a vice-prefeito Bruno Migueis, durante lançamento das candidaturas. (Foto: Divulgação/Arquivo.)
Gabriel Alves, à esquerda, com o candidato a vice-prefeito Bruno Migueis, durante lançamento das candidaturas. (Foto: Divulgação/Arquivo.) - Gabriel Alves, à esquerda, com o candidato a vice-prefeito Bruno Migueis, durante lançamento das candidaturas. (Foto: Divulgação/Arquivo.)

“Desgasta ainda mais a imagem do governo”, afirmou o vereador de Corumbá Gabriel Alves de Oliveira (PSD) e candidato ao Paço Municipal sobre a Operação Offset, desencadeada nesta terça-feira (6) pela PF (Polícia Federal), que apura fraude em contratos entre a Prefeitura de Corumbá e empresas de engenharia.

Márcio Aguilar Iunes, irmão do prefeito Marcelo Iunes, é um dos alvos e teve a casa vistoriada nesta manhã. A Polícia Federal confirmou que houve apreensão de R$ 15 mil em espécie durante o cumprimento de um dos mandados de busca e apreensão em Corumbá. Em Campo Grande, foram 5 mandados de busca cumpridos.

“Estamos esperando o que as averiguações vão dizer, até então, é investigação”, pondera o vereador. Contudo, ele acredita que a operação às vésperas da eleição prejudica o processo. O prefeito Marcelo Iunes concorre neste ano à reeleição, junto com mais cinco candidatos. A reportagem tenta contato com os demais postulantes, bem como outros políticos e a própria gestão municipal.

Operação Offset

Ainda segundo a PF, o dinheiro desviado seria direcionado aos servidores e empresários. As investigações também indicaram que parte da verba destinada ao pagamento dos contratos é proveniente de repasse de recursos federais. O nome da operação faz alusão à conhecida técnica de impressão, já que este é o principal ramo de atividade econômica, registrado nos órgãos competentes, da empresa investigada. Destaca-se que ela possui registros de outros ramos de atuação completamente diversos da atividade principal.

Jornal Midiamax