Devido a pandemia do coronavírus, as arrecadações do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sofreram perdas no segundo trimestre de 2020. Mato Grosso do Sul perdeu 3% das arrecadações destes impostos.

A informação foi divulgada pelo presidente do Comsefaz (Comitê Nacional de Secretários de Fazenda), Rafael Tajra Fonteles. O índice de perdas foi calculado com base nas arrecadações do segundo trimestre de 2019.

Apesar da perda, MS foi o segundo estado com menor impacto no ICMS durante a pandemia. Assim, o Estado apenas não superou Mato Grosso, que ao invés de perdas, aumentou as arrecadações em 4%.

De acordo com Fonteles, as perdas podem continuar mesmo com a reabertura do comércio. “Mesmo com a retomada das atividades, os efeitos continuam, porque a crise não é só derivada do fechamento da economia, mas do comportamento dos agentes econômicos”, afirmou, em audiência pública remota.

No Brasil, as outras 25 unidades federativas perderam em média 18% das arrecadações do ICMS. Então, os estados mais afetados pela pandemia, em relação aos impostos, foram o Acre, com perda de 49%; Amapá com 47% menos arrecadações; e o Ceará, que perdeu 28% neste trimeste.