Política

Com dois deputados de MS, Diap aponta maior número de parlamentares disputando eleições em 2020

Levantamento do Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) aponta quais são os deputados federais e senadores que vão disputar as eleições municipais deste ano. Em Mato Grosso do Sul, dos oito parlamentares, dois são pré-candidatos a prefeito em Campo Grande: Beto Pereira (PSDB) e Dagoberto Nogueira (PDT). A nível nacional, o relatório aponta que 125 […]

Renata Volpe Publicado em 14/07/2020, às 09h05 - Atualizado às 16h37

Os dois deputados federais aparecem em relatório do Diap. (Arquivo, Midiamax)
Os dois deputados federais aparecem em relatório do Diap. (Arquivo, Midiamax) - Os dois deputados federais aparecem em relatório do Diap. (Arquivo, Midiamax)

Levantamento do Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) aponta quais são os deputados federais e senadores que vão disputar as eleições municipais deste ano. Em Mato Grosso do Sul, dos oito parlamentares, dois são pré-candidatos a prefeito em Campo Grande: Beto Pereira (PSDB) e Dagoberto Nogueira (PDT).

A nível nacional, o relatório aponta que 125 parlamentares em exercício do mandato podem concorrer a uma vaga para prefeito ou vice-prefeito nas eleições municipais. São 124 deputados federais e um senador da República, o Eduardo Braga (MDB-AM) poderá tentar concorrer pela terceira vez a vaga de prefeito de Manaus.

O número, caso seja confirmado no registro de candidaturas, será maior que a média histórica, que é de 94 nomes.

Porém, esse número de candidaturas pode reduzir e, em função disso, se manter dentro da média histórica de candidaturas de parlamentares acompanhada pelo Diap desde 1992. O levantamento tem data de 10 deste mês.

Mato Grosso do Sul

Os nome de Pereira e Nogueira aparecem como pré-candidatos a prefeitos na Capital. A novidade gira em torno do tucano, pois, o PSDB insistiu em um apoio ao prefeito e candidato à reeleição, Marquinhos Trad (PSD) que evita tocar no assunto.

Para disputar a prefeitura de Campo Grande, Dagoberto devolveu na última semana, o comando do PDT em Mato Grosso do Sul a João Leite Schimidt, que deverá inclusive coordenar sua campanha.

O parlamentar estava na presidência do partido desde julho 2018, quando Schimidt havia se afastado para coordenar a campanha do juiz federal aposentado Odilon de Oliveira, como candidato a governador do Estado.

Com seu retorno, a nova composição do diretório estadual terá vigência até o dia 15 de dezembro deste ano – conforme dados do SGPI3 (Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias) do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Jornal Midiamax