Política

Citado em lista de candidatos a presidente do Senado, Nelsinho Trad destaca união do PSD

Na lista de candidatos à presidência do Senado publicada pela CNN Brasil, Nelsinho Trad (PSD/MS) afirmou que o partido precisa vai unir para que a eleição da Mesa Diretora passe, necessariamente, pela agremiação partidária. Dos 81 parlamentares, 12 são do PSD. Além dele, foram citados os senadores Antônio Anastasia (PSD/MG) e Otto Alencar (PSD/BA), ambos […]

Mayara Bueno Publicado em 08/12/2020, às 09h02 - Atualizado às 13h28

Senador Nelsinho Trad (PSD/MS). (Foto: Roque de Sá/Agência Senado).
Senador Nelsinho Trad (PSD/MS). (Foto: Roque de Sá/Agência Senado). - Senador Nelsinho Trad (PSD/MS). (Foto: Roque de Sá/Agência Senado).

Na lista de candidatos à presidência do Senado publicada pela CNN Brasil, Nelsinho Trad (PSD/MS) afirmou que o partido precisa vai unir para que a eleição da Mesa Diretora passe, necessariamente, pela agremiação partidária. Dos 81 parlamentares, 12 são do PSD. Além dele, foram citados os senadores Antônio Anastasia (PSD/MG) e Otto Alencar (PSD/BA), ambos lembrados pelo senador como referências, ‘com potencialidade e qualificação’ para tanto.

De Mato Grosso do Sul, Simone Tebet (MDB/MS) também é relacionada como possível nome para disputa pelo comando da Casa. Por meio de sua assessoria de comunicação, a parlamentar disse que, antes de se pronunciar publicamente, vai conversar com a bancada partidária.

“Não depende da vontade pessoal desse ou daquele. Essa articulação, um verdadeiro jogo de xadrez, passa pela eleição da Câmara Federal, para avaliar qual partido que lá será apoiado”, citou como exemplo de um dos componentes da disputa pelo comando da Casa.

Segundo Nelsinho, o foco é unir o PSD e começar a articulação política na semana que vem, após a finalização da análise da ação no STF (Supremo Tribunal Federal), que impediu os atuais presidentes da Câmara e do Senado de tentarem reeleição.

A reportagem apurou, inclusive, que a direção interna do partido no Senado teria pedido prudência até o prazo final de julgamento, para, só a partir disso, tomar posição unânime em relação aos rumos na eleição.

“A própria Simone é uma referência. É um orgulho para mim ser da mesma bancada que ela. Eduardo Gomes (MDB/TO) é um companheiro desde a época que eu era presidente da Câmara de Campo Grande e ele presidente da Câmara de Palmas. Amizade de 20 anos. Fico feliz com as projeções”, encerra o senador.

Jornal Midiamax