Política

Aquidauana vai enviar militares para monitorar casos de coronavírus em aldeias

De acordo com publicação oficial, a gestão irá enviar militares para monitorar os casos de coronavírus confirmados dentro das aldeias. 

Dândara Genelhú Publicado em 24/07/2020, às 18h48

Cacique Julison Farias fez discurso no evento do Governo, representando todas as aldeias da região.
Foto: Reprodução.
Cacique Julison Farias fez discurso no evento do Governo, representando todas as aldeias da região. Foto: Reprodução. - Cacique Julison Farias fez discurso no evento do Governo, representando todas as aldeias da região. Foto: Reprodução.

Com a intenção de aumentar as medidas de enfrentamento ao coronavírus na área urbana e nas aldeias, a Prefeitura de Aquidauana deve publicar novo decreto. De acordo com publicação oficial, desta sexta-feira (24), a gestão irá enviar militares para monitorar os casos de coronavírus confirmados dentro das aldeias.

Assim, a Prefeitura espera garantir o “monitoramento e fiscalização diária para efetivo isolamento dos casos positivados”. Na cidade, já foram confirmados 45 casos de coronavírus entre a população indígena. Destes, quatro estão internados no Hospital Regional de Aquidauana devido as complicações causadas pela doença.

Dos casos confirmados e internados, dois são caciques que estavam presentes em evento do Governo de MS, que causou aglomeração no território indígena. O cacique da aldeia Bananal, Célio Fialho, o da aldeia Água Branca, Julison Farias, estão internados desde o último domingo (19).

Para evitar a circulação de pessoas, as aldeias do território indígena Taunay-Ipegue estão em lockdown, medida adotada pelos caciques das sete aldeias. Para auxiliar nas barreiras sanitárias do acesso ao território, a Prefeitura informou que os indígenas receberão treinamento do Corpo de Bombeiros de Aquidauana.

Além disso, a gestão municipal deve solicitar ajuda federal para controle da pandemia nas aldeias da região. “Será encaminhado ofício ao Ministério da Justiça pedindo apoio federal nas ações dentro dos territórios indígenas”.

Outras medidas

Para controle da doença que já atinge 115 pessoas na cidade, junto com os casos indígenas, a Prefeitura de Aquidauana irá adotar o toque de recolher a partir das 20h. Neste mesmo horário será iniciada uma operação de rondas noturnas, que devem ser realizadas com apoio da Polícia Rodoviária Federa, Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros.

O decreto ainda será publicado e segundo a Prefeitura, as medidas serão adotadas devido ao desrespeito dos moradores da cidade. “Uma grande parcela da população não tem colaborado com as medidas de prevenção em saúde e ainda há muitas pessoas circulando nas ruas, por vezes, até sem máscara”.

No sábado (25), os agentes de segurança pública e autoridades de saúde realizarão uma ação educativa na cidade. Assim, a blitz educativa deverá passar pelo comércio da região central e bairros de Aquidauana, informando sobre as novas medidas restritivas de circulação.

Jornal Midiamax