Política

Alems fez mais de 9 mil proposições mesmo com pandemia, destaca Paulo Corrêa

A pandemia de Covid-19 forçou a Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul) a repensar seu funcionamento. É o que resume o presidente Paulo Corrêa (PSDB) em um balanço de 2020. “Inicialmente, achamos que essa situação duraria três meses; depois, pensamos que seriam seis meses… E lá se vão nove meses em […]

Adriel Mattos Publicado em 22/12/2020, às 08h54 - Atualizado às 15h21

(Foto: Wagner Guimarães, Alems)
(Foto: Wagner Guimarães, Alems) - (Foto: Wagner Guimarães, Alems)

A pandemia de Covid-19 forçou a Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul) a repensar seu funcionamento. É o que resume o presidente Paulo Corrêa (PSDB) em um balanço de 2020.

“Inicialmente, achamos que essa situação duraria três meses; depois, pensamos que seriam seis meses… E lá se vão nove meses em que a Assembleia tem que se virar e se reinventar. O balanço que eu faço é que nós estamos bem preparados para os momentos difíceis. Não houve pedido que a gente não fizesse, não analisasse”, disse em entrevista à TV Alems.

Em março, a Casa de Leis teve que continuar realizando sessões por videoconferência, além de reduzir ao máximo possível a circulação de pessoas. “Em 2020, começamos com todo gás. Quando chega março, a gente recebe um murro no estômago: o mundo se rende ao [novo] coronavírus e aqui não poderia ser diferente. No primeiro momento, a pasmaceira, a parada. Depois, a gente passou a se reinventar”, lembra o tucano.

Alems fez mais de 9 mil proposições mesmo com pandemia, destaca Paulo Corrêa
Sessões passaram a ser por videoconferência. (Foto: Arquivo, Alems)

“Mutirão” no fim do ano

Quando o Governo do Estado enviou uma série de projetos para votação, Corrêa liderou esforço para aprovar o maior número deles antes do recesso. 

“Conforme nosso balanço, nós fizemos, oficialmente, 9.449 proposições. O esforço concentrado no fim do ano foi um sucesso. Todos os projetos que o governo mandou para cá foram avaliados e respondidos com presteza, com opiniões a favor, com opiniões contrárias, mas com determinação”, disse.

2019 e reforma geral

Retornando no tempo para lembrar sua gestão, o presidente destacou a comemoração dos 40 anos da Assembleia, marcada por homenagens. 

“Em 2019, comemoramos os 40 anos da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, com uma programação em alto estilo: homenageamos todos os poderes constituídos do Estado e reforçamos a parte institucional da Casa. Nós fortalecemos a relação com os outros poderes, de forma respeitosa, mas com independência do Poder Legislativo”, lembrou.

Alems fez mais de 9 mil proposições mesmo com pandemia, destaca Paulo Corrêa
Deputados Paulo Corrêa e Zé Teixeira acompanhando as obras (Foto: Arquivo, Alems)

Mesmo na pandemia, as obras de reforma do Palácio Guaicurus, construído na década de 1980 e tinha passado apenas por reparos ou construções pontuais, É a primeira grande restauração do prédio.

“Eu e o deputado Zé Teixeira, nosso 1º secretário, planejamos instalar, no primeiro andar, os gabinetes de todos os deputados e, no térreo, salas e setores de prestação de serviço: os bancos, as diretorias, as diversas secretarias, a TV Assembleia e a Rádio Assembleia. Tudo com projeto moderno. Isso foi feito com calma. Demorou dois anos, mas estamos conseguindo. Falta apenas um gabinete. Vamos começar 2021, se Deus quiser, com todos os deputados no primeiro andar do nosso prédio. E isso só pôde acontecer, porque houve apoio dos outros 23 senhores deputados”, afirmou.

Outro espaço que passou por intervenção foi o restaurante da Casa. “Nós tínhamos aqui um negócio que era mais um criadouro de ratos e baratas que um restaurante. Atravancava nossa Assembleia Legislativa, não deixava a gente sair”, disparou.

Agora, todo o palácio foi adaptado para receber pessoas com deficiência. “Hoje, nós temos acessos em conformidade com as leis modernas de mobilidade, que permitem ao cadeirante se movimentar e preservam a todos de incêndios. Não havia aqui uma escada de incêndio, mas, agora, está sendo construída”, explicou o tucano.

2021 e pós-pandemia

Corrêa lamentou a nova alta de casos da Covid-19, que está colocando o Estado à beira do colapso da saúde. “Eu queria pensar 2021 planejadamente em 2020. Não dá pra gente pensar nisso agora. Estamos com os leitos para Covid-19 no nosso estado 100% tomados. É uma lástima isso! O que vai minorar esse sofrimento é a vacinação. Nós estamos aguardando essa vacinação”, disse.

Como exemplo, ele lembrou de uma audiência pública, que normalmente encheria o Plenário Deputado Júlio Maia – principal e maior espaço, onde ocorrem as sessões -, foi completamente virtual.

Alems fez mais de 9 mil proposições mesmo com pandemia, destaca Paulo Corrêa
Audiência pública online: sem público, mas com transmissão ao vivo. (Foto: Wagner Guimarães, Alems)

“Eu nunca imaginei, por exemplo, que pudesse dar certo uma audiência pública online. Podemos citar essa reunião dos prefeitos eleitos: em um determinado momento teve, praticamente, 6 mil acessos. Isso é muito mais que os 289 lugares do plenário lotado da Assembleia Legislativa”, comentou.

O presidente disse que ainda quer levar a TV Alems no sinal aberto e abrir uma sala de situação na Casa, como a da Governadoria. “Essa sala, que seria o novo plenarinho, seria usada para fazermos reuniões que possam ser transmitidas online. As comissões também poderão fazer reuniões online nesta sala de situação”, frisa. O objetivo é reunir até mesmo ministros de Estado, sem a necessidade de deslocamento. 

Outro projeto é um novo estacionamento, que está em estudos. “Vamos tentar fazer um estacionamento com térreo e primeiro andar. E não tem jeito, vamos ter de fazer. Há um anteprojeto sendo conversado entre o deputado Zé Teixeira e o nosso arquiteto. Vamos colocar pilares, laje. Eu sou engenheiro, sei que é possível ser feito. E pode ser feito rapidamente”, explicou.

O tucano disse ainda que tem esperança que a situação no Brasil melhore com o início da vacinação.

“Temos esperança na vacinação [para acabar com a pandemia]. Mas acho muito difícil pensarmos no depois da pandemia sem pensarmos nesse novo normal, que é o normal do online, do home office, das pessoas trabalhando de forma diferente. Temos que pensar nesse novo normal e nos adaptar”, analisa.

Jornal Midiamax