Política

Vice-prefeita de Porto Murtinho renuncia alegando falta de reconhecimento do prefeito

A vice-prefeita de Porto Murtinho, Maria Lúcia Barbosa Ribeiro (PSDB), entregou na quinta-feira (19) uma carta ao presidente da Câmara Municipal, Flávio Abreu (DEM), renunciando ao cargo. Entre os motivos, ela alega a falta de reconhecimento do prefeito, Derlei Delevatti (PSDB). A carta tem três folhas e foi digitada e assinada por Vera Lúcia, esposa […]

Renata Volpe Publicado em 20/12/2019, às 13h56 - Atualizado às 18h48

Maria Lúcia ao lado do prefeito de Porto Murtinho, Derlei Delevatti. (Toninho Ruiz, Divulgação)
Maria Lúcia ao lado do prefeito de Porto Murtinho, Derlei Delevatti. (Toninho Ruiz, Divulgação) - Maria Lúcia ao lado do prefeito de Porto Murtinho, Derlei Delevatti. (Toninho Ruiz, Divulgação)

A vice-prefeita de Porto Murtinho, Maria Lúcia Barbosa Ribeiro (PSDB), entregou na quinta-feira (19) uma carta ao presidente da Câmara Municipal, Flávio Abreu (DEM), renunciando ao cargo. Entre os motivos, ela alega a falta de reconhecimento do prefeito, Derlei Delevatti (PSDB).

A carta tem três folhas e foi digitada e assinada por Vera Lúcia, esposa do ex-prefeito de Porto Murtinho, Nelson Cintra. Maria começa dizendo que é produtora rural junto com o marido e sempre foi grata a população que recebeu a família com tanto carinho. 

Diz que os filhos foram criados na cidade e os anos que sucederam à administração de Cintra, culminaram no declínio da qualidade dos serviços públicos. Maria escreveu ainda que a população pedia o retorno de seu esposo como Chefe do Executivo em 2016, mas a família entendeu ser necessário dar oportunidade para quem tinha conhecimentos técnicos e fosse empenhado pela cidade, nas últimas eleições municipais.

Ainda segundo a ex-vice-prefeita, iniciou-se uma busca por alguém com o perfil citado e ela teria conhecido Derlei, médico veterinário. Conforme trecho da carta de desfiliação, Maria alega que não conhecia bem o prefeito, mas ele se destacava bem no trabalho de administração de propriedades rurais.

Ela colocou seu nome para disputar a campanha de vice ao lado de Derlei, conforme a carta, e depois de eleitos, a partir de 1º de janeiro de 2017, Maria se coloca à disposição da população, mas não tem o mesmo anseio por parte do prefeito. 

Maria Lúcia cita ainda que o salário dela de vice-prefeita era revertido para auxiliar instituições assistenciais e serviços de manutenção e preservação do patrimônio público, histórico e cultural da cidade, na doação de uniformes, doação de mobiliários para escolas de educação infantil.

Ela cita ter convidado Derlei para se filiar ao PSDB, mas quando ele assumiu a presidência do partido, não convidou nem Maria e nem Nelson Cintra para a executiva da legenda.

Conforme Maria, durante três anos Derlei nunca teria pedido sua opinião para desenvolver ação para Porto Murtinho. Ela diz que essa indiferença a fez tomar a decisão de deixar o cargo. A falta de reconhecimento, segundo Maria, foi decisiva para ela tomar outro rumo.

Ela encerra a carta pedindo desculpa para população que se sentiu ofendida com a decisão, deseja sorte a Derlei e pede para ele refletir sobre os rumos que pretende tomar e propiciar qualidade de vida aos cidadãos.

Jornal Midiamax