Política

Vereador pode rever decisão de sair do PSB após Elizeu Dionízio deixar presidência

De malas quase prontas para deixar o PSB devido a atritos com o ex-presidente regional Elizeu Dionízio, o vereador de Campo Grande Veterinário Francisco diz que pode rever sua decisão com a chegada de Ricardo Ayache, que retornou ao comando do partido em Mato Grosso do Sul. “O Ayache é uma pessoa que nós conhecemos, […]

Richelieu Pereira Publicado em 29/05/2019, às 08h23 - Atualizado às 13h04

Vereador Veterinário Francisco anunciou que deixaria o PSB. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG)
Vereador Veterinário Francisco anunciou que deixaria o PSB. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG) - Vereador Veterinário Francisco anunciou que deixaria o PSB. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG)

De malas quase prontas para deixar o PSB devido a atritos com o ex-presidente regional Elizeu Dionízio, o vereador de Campo Grande Veterinário Francisco diz que pode rever sua decisão com a chegada de Ricardo Ayache, que retornou ao comando do partido em Mato Grosso do Sul.

“O Ayache é uma pessoa que nós conhecemos, é uma pessoa que tem palavra, que não vem aqui para alugar o partido, como os anteriores o fizeram”, disparou Francisco ao Jornal Midiamax. “Então é questão de uma conversa e aí poderemos chegar a um acordo”.

Ex-presidente provisório do diretório da Capital, o vereador socialista demonstra preocupação com a situação da legenda devido a problemas nas prestações de contas que levaram a sanções estabelecidas pela Justiça Eleitoral.

“O partido está inelegível aqui em Campo Grande, não só eu como o partido. Nós temos encargos desde 2014 a serem saldados junto à Justiça Eleitoral e quem só pode fazer isso aí é a estadual, já que o presidente anterior ignorou isso aí. Estou sendo intimado toda semana pelo TRE, mas agora a punição e as intimações vão para a estadual”, explicou.

Ricardo Ayache volta ao barco socialista e substitui o ex-deputado federal Elizeu Dionísio na presidência estadual da sigla. A filiação do médico cardiologista ocorreu na sede do partido, em Brasília, na última quinta-feira (23). Ayache deixou o partido às vésperas da eleição de 2018, quando seu nome chegou a ser cotado na disputa ao Governo.

Além de Ayache, a executiva estadual é composta pelo vice-presidente, Aluísio São José (prefeito de Coxim), José Ancelmo dos Santos, Thaísa Daiane e Adelaido Luiz Espinosa.

“Nós temos que conversar. Nós queremos a valorização do partido e ver como vai funcionar, uma vez que o partido se desfez ao longo desse tempo que o senhor Elizeu Dionízio esteve à frente”, conclui Francisco.

Jornal Midiamax