Política

Renan vence disputa interna contra Simone Tebet e irá concorrer à presidência do Senado

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi escolhido como candidato à disputa pela presidência do Senado nesta quinta-feira (31). Dentro da cúpula do MDB, a senadora Simone Tebet (MDB) foi vencida por 7 votos contra 5. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) já ligou para Renan Calheiros o parabenizando pela vitória. Entre os 13 integrantes da bancada, […]

Diego Alves Publicado em 31/01/2019, às 19h50 - Atualizado em 01/02/2019, às 10h39

Fotos: Agência Brasil
Fotos: Agência Brasil - Fotos: Agência Brasil

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi escolhido como candidato à disputa pela presidência do Senado nesta quinta-feira (31). Dentro da cúpula do MDB, a senadora Simone Tebet (MDB) foi vencida por 7 votos contra 5. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) já ligou para Renan Calheiros o parabenizando pela vitória.

Entre os 13 integrantes da bancada, apenas o senador Jarbas Vasconcelos (PE) não participou da reunião. Ele havia anunciado que votaria em Simone.

Sete senadores que concorrem a cadeira, chegaram a fazer uma reunião mais cedo nesta quinta, para irem contra a candidatura de Renan Calheiros (MDB-AL).

Pelo menos duas pessoas que estavam na reunião, afirmaram que foi enviada para Simone Tebet, a proposta para a troca de partida, porque segundo eles, “veem dificuldades em compor com o MDB”. O partido do Podemos foi a alternativa apresentada pelos senadores, divulgou a Folha de São Paulo.

Porém, Simone falou na noite desta quinta que não vai se lançar em candidata avulsa para disputar a presidência da Casa fora do partido e que vota contra Renan Calheiros. A senadora ainda se posiciona a favor do voto aberto.

De acordo com a senadora, para sair em uma candidatura avulsa, seria preciso ter o apoio de algum partido, fato que não dá mais tempo, já que a eleição acontece nesta sexta-feira (01).

“Eu não sou candidata de mim mesma. São oito candidaturas. A minha candidatura avulsa só complicaria o processo para qualquer lado. Então, neste momento – de hoje para amanhã muita coisa vai acontecer – mas neste momento não há espaço para a minha candidatura, porque não tem um partido que venha apoiar”, afirmou.

“Me sinto vitoriosa, tive cinco aliados que não me pediram nada porque queriam um outro MDB. Me sinto honrada, fui até o final”, disse.

“Faz parte do jogo, participei de um processo democrático. Tive a coragem de oferecer meu nome contra Renan Calheiros, sendo a única mulher da bancada”, disse. (Matéria atualizada para acréscimo de informações)

Jornal Midiamax