Política

PSD define estratégia para 2020 com Marquinhos no comando

O PSD definiu como será a estratégia do partido para as eleições municipais de 2020. Com o prefeito Marquinhos Trad no comando da articulação política em Campo Grande, serão divididas três frentes abrangendo os 78 municípios restantes de Mato Grosso Sul, cada qual sendo liderado por um cacique pessedista. A estratégia foi montada pelo presidente […]

Richelieu Pereira Publicado em 16/04/2019, às 07h49 - Atualizado em 15/07/2020, às 04h17

Prefeito Marquinhos Trad vai tocar o PSD na Capital. No domingo, participou de eleição no PSDB. (Foto: Divulgação/PSDB)
Prefeito Marquinhos Trad vai tocar o PSD na Capital. No domingo, participou de eleição no PSDB. (Foto: Divulgação/PSDB) - Prefeito Marquinhos Trad vai tocar o PSD na Capital. No domingo, participou de eleição no PSDB. (Foto: Divulgação/PSDB)

O PSD definiu como será a estratégia do partido para as eleições municipais de 2020. Com o prefeito Marquinhos Trad no comando da articulação política em Campo Grande, serão divididas três frentes abrangendo os 78 municípios restantes de Mato Grosso Sul, cada qual sendo liderado por um cacique pessedista.

A estratégia foi montada pelo presidente regional do Partido Social Democrático, o senador Nelsinho Trad, após reuniões com os membros do diretório executivo e anunciada na segunda-feira (15).

“Vamos dividir em três grandes grupos. Cada grupo está sob o comando de uma liderança, que irá acompanhar a ajudar a fortalecer os diretórios municipais”, explicou o senador, na página oficial da legenda no Facebook.

Nelsinho cuidará de 28 municípios. O deputado federal Fábio Trad assumirá a responsabilidade por 24 cidades, e o deputado estadual Londres Machado (PSD) terá de organizar a legenda em 26 pontos do Estado e por último o prefeito Marquinhos Trad assumirá a responsabilidade de comandar na Capital.

Sondado pelo DEM

O anúncio de que Marquinhos vai liderar o partido em Campo Grande ocorre poucos dias após lideranças do DEM convidarem o prefeito da Capital para integrar o partido. Líder do prefeito na Câmara, vereador Chiquinho Telles (PSD) chegou a revelar que não descartava eventual troca de sigla do chefe, mirando a reeleição.

Antes de tomar qualquer decisão, no entanto, Marquinhos afirmou que conversaria com os irmãos correligionários.

“Todas as vezes que seu nome é lembrado, principalmente por pessoas como a Tereza Cristina, o Barbosinha, duas pessoas que eu respeito muito, muito mesmo, você fica feliz. Agora, eu sou muito família, sou muito união. Tenho que conversar com meus irmãos”, afirmou Marquinhos, no último fim de semana.

Jornal Midiamax