Política

Prefeitura de Bonito repudia xingamentos de Gal Costa a Bolsonaro no FIB 2019

A prefeitura de Bonito, cidade localizada a 300 km de Campo Grande, emitiu nota de repúdio contra a manifestação ocorrida no FIB (Festival de Inverno de Bonito), no sábado (27), em que a cantora Gal Costa e público entoaram uma marchinha xingando o presidente Jair Bolsonaro (PSL). O fato ocorreu durante o show, atração principal […]

Nyelder Rodrigues Publicado em 30/07/2019, às 16h11 - Atualizado em 14/07/2020, às 11h47

None
Gal Costa é criticada depois de xingar Bolsonaro em show no FIB

A prefeitura de Bonito, cidade localizada a 300 km de Campo Grande, emitiu nota de repúdio contra a manifestação ocorrida no FIB (Festival de Inverno de Bonito), no sábado (27), em que a cantora Gal Costa e público entoaram uma marchinha xingando o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

O fato ocorreu durante o show, atração principal do dia, que aconteceu no Palco das Águas. Sem o microfone, Gal acompanhou o público e o ritmo de sua banda, em um coro de “Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*”, também dançando.

Afirmando que as manifestações são desrespeitosas, a prefeitura frisa que o Festival “não tem viés político, sendo um festival cultural”, completando ainda entender que “todos tem direito a expressão, mas não concorda com manifestações explícitas de lados políticos, ou mesmos desrespeito aos atuais governantes”.

A nota ainda destaca que não concorda que tais atos sejam realizados tanto por artistas, sejam eles pagos com verba federal, estadual ou municipal, ou mesmo pelo público presente ao Festival de Inverno.

Show interrompido

Na programação do mesmo dia, aconteceu o show do carioca BNegão & Seletores da Frequência, que segundo relatos do próprio músico BNegão feitos na rede social Instagram, foi interrompido pela PM (Polícia Militar).

Durante o show, ele fez críticas a Bolsonaro e se posicionou contra o ataque a indígena ocorrido no Amapá, que resultou em uma morte. A partir daí, o evento, realizado no CMU (Centro de Múltiplo Uso), foi interrompido pelos policiais. O relato também foi feito à revista Fórum.

Jornal Midiamax