Política

Ninho tucano vai estar em consenso na estadual, garante Carlos Assis

Apesar do embate entre os deputados federais Beto Pereira (PSDB) e Rose Modesto (PSDB), a escolha do novo presidente do diretório regional do partido será feita em consenso. É o que acredita o chefe de gabinete do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), Carlos Alberto de Assis. “A tradição no ninho tucano é não ter disputa, como […]

Danúbia Burema Publicado em 07/04/2019, às 12h06 - Atualizado em 08/04/2019, às 08h16

Para Assis, tradição tucana de não se fazer disputa interna deve ser mantida. (Foto: Marcos
Ermínio)
Para Assis, tradição tucana de não se fazer disputa interna deve ser mantida. (Foto: Marcos Ermínio) - Para Assis, tradição tucana de não se fazer disputa interna deve ser mantida. (Foto: Marcos Ermínio)

Apesar do embate entre os deputados federais Beto Pereira (PSDB) e Rose Modesto (PSDB), a escolha do novo presidente do diretório regional do partido será feita em consenso. É o que acredita o chefe de gabinete do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), Carlos Alberto de Assis.

“A tradição no ninho tucano é não ter disputa, como nós fizemos com a municipal de Campo Grande agora com o consenso no nome do João César Mattogrosso. E acho que o ninho vai estar em consenso na estadual também”, avaliou.

Para isso, Assis defende que os concorrentes tenham em mente que a prioridade são os interesses da legenda. “Vão ter que sentar numa mesa e decidir o que é melhor. Acho que vai haver um entendimento entre os dois. São inteligentes, são preparados para não haver disputa”, disse, destacando que ambos são nomes de valor, deputados federais com expressivas votações.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) também tem repetido o discurso de maturidade na escolha de um nome consensual para evitar eventual racha no partido, embora não descarte uma disputa voto a voto.

“Não necessita o governador para buscar o consenso. Acho que o partido terá maturidade da escolha de um nome consensual entre um e outro que evite uma disputa, um racha. Agora, se tiver que ter disputa também, aí é o voto que vai decidir quem será”, avaliou, lembrando que desde 1995 a legenda não registra embates internos na escolha do comando do diretório regional.

Jornal Midiamax