Política

Não conhecemos o processo, diz Riedel sobre Operação Nota Zero da Polícia Federal

Secretário de Governo de Reinaldo Azambuja, Eduardo Riedel disse que a administração pública não conhece as investigações, mas que apoia qualquer tipo de apuração. O secretário emitiu a declaração durante a coletiva feita pela Secretaria de Infraestrutura nas obras abandonadas do Aquário do Pantanal nesta quarta-feira (8). “Primeiro a gente tem que ter acesso. Depois […]

Evelin Cáceres Publicado em 08/05/2019, às 12h04 - Atualizado às 16h33

Secretário participou de vistoria na obra do Aquário do Pantanal (Foto: Richelieu Pereira)
Secretário participou de vistoria na obra do Aquário do Pantanal (Foto: Richelieu Pereira) - Secretário participou de vistoria na obra do Aquário do Pantanal (Foto: Richelieu Pereira)

Secretário de Governo de Reinaldo Azambuja, Eduardo Riedel disse que a administração pública não conhece as investigações, mas que apoia qualquer tipo de apuração. O secretário emitiu a declaração durante a coletiva feita pela Secretaria de Infraestrutura nas obras abandonadas do Aquário do Pantanal nesta quarta-feira (8).

“Primeiro a gente tem que ter acesso. Depois que tiver o compartilhamento, nós não conhecemos o processo, aí vamos olhar e analisar. O governo vai tomar todas as medidas cabíveis pertinentes dentro daquilo que for observado. Como sempre a gente apoia as iniciativas existentes nesse sentido”, disse.

Riedel acompanhou a vistoria realizada pelo secretário de Infraestrutura e vice-governador Murilo Zauith nas obras do Aquário do Pantanal, coincidentemente marcada para o dia em que o ex-secretário Edson Giroto completa um ano preso após investigações da Lama Asfáltica, que o implicam em superfaturamentos de obras de asfalto e da própria obra.

As investigações da Polícia Federal de Mato Grosso do Sul apontam que um grupo de sete empresas realiza desde 2016 um conluio para monopolizar e vencer as licitações da SED (Secretaria Estadual de Educação), contando com ajuda de servidores públicos, para vencer um total de mais de R$ 8 milhões em contratos para reformas de escolas.

Jornal Midiamax