Política

Na fronteira de MS, Moro leva ‘cano’ de presidente paraguaio e ministra argentina

A agenda do ministro de Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro na fronteira de Mato Grosso do Sul nesta segunda-feira (03) foi cumprida sem a presença do presidente do Paraguai, Marcio Abdo, e da ministra argentina Patricia Bullrich, que se reuniriam com ele.  A causa oficial das ausências foi o mau tempo, que impediu o pouso das […]

Danúbia Burema Publicado em 03/06/2019, às 17h29 - Atualizado às 18h36

Moro concedeu coletiva de imprensa. Foto. Gcmfron Ponta Porã
Moro concedeu coletiva de imprensa. Foto. Gcmfron Ponta Porã - Moro concedeu coletiva de imprensa. Foto. Gcmfron Ponta Porã

A agenda do ministro de Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro na fronteira de Mato Grosso do Sul nesta segunda-feira (03) foi cumprida sem a presença do presidente do Paraguai, Marcio Abdo, e da ministra argentina Patricia Bullrich, que se reuniriam com ele.  A causa oficial das ausências foi o mau tempo, que impediu o pouso das autoridades.

Somente o ministro paraguaio Arnaldo Giuzzio acompanhou a visita de Moro à sede da Senad (Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas), em Pedro Juan Caballero, e a coletiva de imprensa concedida por ele. A chegada do ministro da Justiça também foi conturbada, com atraso de 2h e pouso em Dourados ao invés de Campo Grande como estava previsto.

Do lado brasileiro, nem o prefeito de Ponta Porã recepcionou Moro. A ida do ministro foi acompanhada pelo secretário municipal de Justiça e Segurança Pública de Ponta Porã, Marcelo Nunes, que acompanhou os trabalhos representando o administração municipal. O motivo é que o prefeito cumpria outra agenda no município no momento.

Segundo Nunes, apesar de o presidente e a ministra não terem conseguido teto para pousar os aviões, eles irão à fronteira na terça-feira (04), um dia após a visita de Moro, para tratar do mesmo assunto. O tema da agenda frustrada desta segunda-feira (03) era a Operação Nova Aliança – que reúne esforços entre Brasil e Paraguai contra produção e tráfico de maconha na fronteira.

Jornal Midiamax