Política

Midiamax checou: jornalista que revelou conversas de Moro não é acusado de terrorismo

O jornalista estado-unidense Glenn Greenwald, editor do site The Intercept, que revelou a troca de mensagens entre o ex-juiz Sérgio Moro e o promotor federal Deltan Dallagnol, é apontado em mensagens que circulam nas redes sociais como acusado por terrorismo. O Midiamax chegou e constatou que se trata de fake news. De fato, ele é […]

Nyelder Rodrigues Publicado em 10/06/2019, às 19h17 - Atualizado às 19h19

None

O jornalista estado-unidense Glenn Greenwald, editor do site The Intercept, que revelou a troca de mensagens entre o ex-juiz Sérgio Moro e o promotor federal Deltan Dallagnol, é apontado em mensagens que circulam nas redes sociais como acusado por terrorismo. O Midiamax chegou e constatou que se trata de fake news.

De fato, ele é casado com o brasileiro David Miranda, deputado federal carioca pelo PSOL. Porém, nem um deles é acusado de atentado contra à segurança nacional no Reino Unido, como consta nas publicações.

Várias ferramentas de checagem de notícias, como a AFP e o Aos Fatos, também indicam a informação como fake news. Fotos com Glenn abraçado a David afirmam, e depois ao lado de Lula, supõe também que as matérias tenham relação política com Lula.

Detido por 9h em 2013

Em 2013, David foi detido por 9h no aeroporto de Londres pela Scotland Yard, quando retornava de Berlim, baseado na Lei Antiterrorismo local. Porém, após longo interrogatório, ele foi liberado, nunca sendo formalmente acusado de atentar contra o Reino Unido. O Itamaraty se posicionou contra a situação e, depois, David entrou com processo contra o governo britânico.

Além disso, há informações que Glenn Greenwald concederá nesta segunda-feira (10) uma entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura. Contudo, no site da emissora, não há informações sobre o mesmo, estando agendado a entrevista com o produtor musical Zuza Homem de Mello para ir ao ar.

Jornal Midiamax