Política

Eduardo Cury reclama de presidente nacional e deve deixar o Solidariedade

O vereador Eduardo Cury está arrumando as malas para deixar o SD. O edil de Campo Grande diz estar “descontente” com as posições do presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, que é crítico do governo Jair Bolsonaro (PSL). “Estou bastante desconfortável com a orientação nacional. Eu vejo o Paulinho da Força completamente na contramão […]

Richelieu Pereira Publicado em 30/05/2019, às 13h07 - Atualizado às 18h09

Projeto foi apresentado pelo vereador Eduardo Cury. (Izaias Medeiros, CMCG)
Projeto foi apresentado pelo vereador Eduardo Cury. (Izaias Medeiros, CMCG) - Projeto foi apresentado pelo vereador Eduardo Cury. (Izaias Medeiros, CMCG)

O vereador Eduardo Cury está arrumando as malas para deixar o SD. O edil de Campo Grande diz estar “descontente” com as posições do presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, que é crítico do governo Jair Bolsonaro (PSL).

“Estou bastante desconfortável com a orientação nacional. Eu vejo o Paulinho da Força completamente na contramão do que o país precisa. Eu não me sinto, por exemplo, em condições de responder, se alguém me perguntar, se eu apoio as ideias dele”, explicou Cury ao Jornal Midiamax, nesta terça-feira (30), após a sessão da Câmara.

“Ele está contra o governo. É um camarada com ações e atitudes as mais espúrias possíveis. Eu não aprovo, por exemplo, o dinheiro jogado para cima de manifestantes. Ele é um falso democrata”, complementou Cury, citando o caso em que Paulinho da Força foi filmado atirando dinheiro em uma manifestante em 2016.

O atual presidente nacional da central sindical Força Sindical, segundo Cury, tem atitudes totalmente contrárias a Jair Bolsonaro, sendo que o parlamentar campo-grandense é um dos principais defensores do presidente na Câmara de Vereadores.

Diante disso, Cury diz que a forma de resolver esse impasse é sair do Solidariedade.

“Agora eu tenho que aguardar, vai ter janela [partidária]… Se houver uma via judicial que acolha essa minha tese e ela for viável… Eu não estou me sentindo bem e não concordo que as posições principalmente contra o governo presidencial contra o Brasil”, encerra Cury.

Jornal Midiamax