Política

Cota zero de peixes é adaptação a novo momento e avanço de sustentabilidade, diz Reinaldo

Poucos do início da cerimônia de posse dos novos deputados estaduais, da 11ª legislatura da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, na manhã desta sexta-feira (1), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), voltou a comentar sobre o decreto que vai limitar pescado nos rios do Estado. “Pouquíssimos Estados tem cota de peixe transportado, no mundo […]

Ludyney Moura Publicado em 01/02/2019, às 09h57

(Foto: Marcos Ermínio)
(Foto: Marcos Ermínio) - (Foto: Marcos Ermínio)

Poucos do início da cerimônia de posse dos novos deputados estaduais, da 11ª legislatura da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, na manhã desta sexta-feira (1), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), voltou a comentar sobre o decreto que vai limitar pescado nos rios do Estado.

“Pouquíssimos Estados tem cota de peixe transportado, no mundo ninguém mais tem. Ou nos adaptamos a esse novo momento, ou vamos ficar para trás. Pesca esportiva gera empregos e oportunidades”, frisou o tucano.

O governador explicou que por se tratar de um decreto do Executivo, a matéria não precisa passar pela Assembleia, mas adiantou que espera tratar o assunto não só com parlamentares, mas com todos os envolvidos na questão.

“(MS) Não tem mais estoque pesqueiro, estamos perdendo turista. Nós temos tudo para ampliar número de turistas (com decreto da cota zero). Vamos preservar trabalhadores e gerar mais emprego. Isso é avanço de sustentabilidade”, alegou.

Pesque

O governo estadual divulgou que a partir desta sexta-feira, o sistema de ‘pesque e solte’ no leito do Rio Paraguai está autorizado para pescadores amadores.

A modalidade se estende até o fim de fevereiro de 2019, período que marca o fim da Piracema e liberação da pesca em todo Mato Grosso do Sul.

Jornal Midiamax