Política

“Chegou a vez dele”, diz vereador petista sobre prisão do ex-presidente Michel Temer

Como único vereador do PT na Câmara Municipal de Campo Grande, cabe a Ayrton Araújo defender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dos ataques no Legislativo Municipal. Com a prisão de Michel Temer, nesta quinta-feira (21), chegou a vez do petista celebrar os feitos da Operação Lava Jato e apontar a corrupção que ocorre […]

Richelieu Pereira Publicado em 21/03/2019, às 12h48

Vereador Ayrton Araújo foi favorável a manter veto sobre pagamento de insalubridade a profissionais da saúde. (Arquivo, Midiamax)
Vereador Ayrton Araújo foi favorável a manter veto sobre pagamento de insalubridade a profissionais da saúde. (Arquivo, Midiamax) - Vereador Ayrton Araújo foi favorável a manter veto sobre pagamento de insalubridade a profissionais da saúde. (Arquivo, Midiamax)
“Chegou a vez dele”, diz vereador petista sobre prisão do ex-presidente Michel Temer
Vereador Ayrton Araújo do PT. (Foto: Minamar Junior)

Como único vereador do PT na Câmara Municipal de Campo Grande, cabe a Ayrton Araújo defender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dos ataques no Legislativo Municipal. Com a prisão de Michel Temer, nesta quinta-feira (21), chegou a vez do petista celebrar os feitos da Operação Lava Jato e apontar a corrupção que ocorre no País.

“Acho que prisão é doído para o ser humano. E o golpe que o PT passou pela mão do Michel Temer… Nada mais justo que está sendo preso, de repente, para prestar depoimento e esclarecimento”, disse Araújo ao Jornal Midiamax, durante a sessão desta quinta. “Acredito que ele não tem mais poder de segurar, de parar a Lava Jato, igual tentaram parar. Então chegou a vez dele”.

O parlamentar afirma que a Lava Jato é “uma coisa muito séria e muito boa que aconteceu no País” e que isso é resultado do governo Lula, que “liberou e deu poder à Polícia Federal e ao Ministério Público para poder investigar as coisas que antes era varrido para debaixo do tapete (sic)”.

A prisão de Temer foi determinada pelo juiz federal Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, responsável pelas ações de desdobramento da Operação Lava Jato. Em sua decisão, Bretas diz que o ex-presidente é líder de organização criminosa e principal responsável pelos atos de corrupção investigados nesta fase da apuração.

Com isso em vista, Ayrton Araújo acredita que Temer com certeza tem “culpa no cartório”. “Michel Temer está aí sendo recolhido para poder prestar contas do que ele fez de errado enquanto presidente e quanto político. Acredito que lá em cima, esses velhos políticos, não tenha um lá que não tenha culpa no cartório”, alfineta o petista.

Prisão de Temer

Michel Temer foi abordado por policiais federais na rua, em São Paulo. Segundo o G1, desde quarta-feira (20), a PF tentava rastrear e confirmar a localização de Temer, sem ter sucesso. Por isso, a operação prevista para as primeiras horas da manhã desta quinta-feira atrasou. A PF estava na porta da casa de Temer e, ao perceber a saída de um carro do local, seguiu o veículo e realizou a prisão.

O ex-presidente está sendo levado para o Aeroporto Internacional de Guarulhos, de onde segue para o Rio de Janeiro. No Rio, fará exame de corpo delito e será encaminhado para a sede da instituição.

O ex-ministro de Minas e Energia da administração emedebista Moreira Franco também é alvo dos agentes nesta quinta-feira.

A Operação Descontaminação investiga desvios na Eletronuclear. Ao todo, foram expedidos oito mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 24 de busca e apreensão no Rio de Janeiro, em São Paulo, no Paraná e Distrito Federal.

De acordo com nota da PF, “a investigação decorre de elementos colhidos nas Operações Radioatividade, Pripyat e Irmandade, deflagradas anteriormente e, notadamente, em razão de colaboração premiada firmada pela Polícia Federal.

Filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Temer assumiu a Presidência da República em maio de 2016, depois do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Ao longo de sua trajetória política, Temer foi presidente da Câmara dos Deputados, secretário da Segurança Pública e procurador-geral do estado de São Paulo.

*Com informações da Agência Brasil

Jornal Midiamax