Política

Categorias marcam manifestação para terça caso governo não confirme abono

Os servidores do Governo do Estado já ameaçam manifestação para a próxima terça-feira (30) caso o governo não confirme a manutenção do abono de R$ 200 ou sua incorporação no salário dos funcionários. A informação é de que os servidores aguardam para ainda nesta quinta-feira (25) a data do encontro. O Fórum dos Servidores, entidade […]

Daiany Albuquerque Publicado em 25/04/2019, às 15h14 - Atualizado às 16h18

Comissão e servidores se reuniram nesta quinta após a sessão (Foto: Minamar Júnior/Midiamax)
Comissão e servidores se reuniram nesta quinta após a sessão (Foto: Minamar Júnior/Midiamax) - Comissão e servidores se reuniram nesta quinta após a sessão (Foto: Minamar Júnior/Midiamax)

Os servidores do Governo do Estado já ameaçam manifestação para a próxima terça-feira (30) caso o governo não confirme a manutenção do abono de R$ 200 ou sua incorporação no salário dos funcionários. A informação é de que os servidores aguardam para ainda nesta quinta-feira (25) a data do encontro.

O Fórum dos Servidores, entidade que reúne mais de 35 categorias ligadas aos servidores públicos do Estado, esteve reunida na manhã desta quarta-feira com a comissão formada por deputados estaduais, montada para acompanhar a negociação do reajuste salarial das categorias.

No encontro, segundo Ricardo Bueno, representante do Fórum, ficou definido que os deputados intermediariam uma reunião entre o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ou o secretário de Governo, Eduardo Riedel. “Precisamos de reunião uma reunião com o governo, com quem vai bater o martelo sobre o nosso reajuste. A reunião com a SAD [Secretaria de Estado de Administração] não foi a contento”, alegou Bueno.

Caso a reunião com o governador ou o secretário não seja marcada, as categorias já estão mobilizadas para uma manifestação, na manhã da próxima terça-feira, em frente à Governadoria. “Vamos amanhecer lá em frente”, promete.

A comissão dos deputados é formada por seis parlamentares, sendo eles: Cabo Almi (PT), Lídio Lopes (Patriota), Gerson Claro (PP), Capitão Contar (PSL) e Rinaldo Modesto (PSDB) como titulares. Já os suplentes são os deputados: Pedro Kemp (PT), Jamilson Name (PDT), Lucas de Lima (SD), João Henrique (PR) e Felipe Orro (PSDB).

Protestos

Na manhã desta quinta-feira, servidores públicos dos grupos de segurança que não conseguiram acompanhar a sessão da ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) se irritaram com a suspensão da mesma, tentaram invadir o plenário e foram contidos pelos seguranças.

Com capacidade para 350 pessoas, o plenário da ficou lotado com a presença dos manifestantes e mais de cem pessoas seguiam do lado de fora do local. A movimentação gerou empurra-empurra entre os grupos, mas logo a situação foi normalizada. (Com Evelin Cáceres e Maisse Cunha)

Jornal Midiamax