Política

Cassação da prefeita de Miranda será julgada na segunda

A cassação da prefeita Marlene Bossay (PMDB), de Miranda – a 208 km de Campo Grande –, será votada pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) na segunda-feira (8). Ela é acusada de compra de votos na eleição municipal de 2016. O processo já foi retirado quatro vezes de pauta seis vezes, […]

Daiany Albuquerque Publicado em 04/04/2019, às 18h29 - Atualizado em 05/04/2019, às 10h19

Prefeitura de Miranda (Foto: Arquivo)
Prefeitura de Miranda (Foto: Arquivo) - Prefeitura de Miranda (Foto: Arquivo)

A cassação da prefeita Marlene Bossay (PMDB), de Miranda – a 208 km de Campo Grande –, será votada pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) na segunda-feira (8). Ela é acusada de compra de votos na eleição municipal de 2016.

O processo já foi retirado quatro vezes de pauta seis vezes, quatro a pedido do relator, uma vez a pedido da advogada de defesa e mais duas vezes a pedido dos membros da corte do TRE-MS. De acordo com a assessoria de imprensa do TRE-MS, até o momento já foram três votos a favor da cassação. Já votaram o relator do processo, Abrão Razuk, o juiz federal Clorisvaldo Rodrigues dos Santos e o desembargador Julizar Barbosa.

Ao todo participam do julgamento nove membros do TRE-MS, portanto a análise precisa ter mais dois votos favoráveis para se efetivar a cassação de Bossay.

Conforme denúncia, durante a campanha de 2016 o filho da prefeita, Alexandre Bossay, foi flagrado e preso quando entregava cestas básicas na aldeia Lalima, em Miranda. Ainda teriam sido encontrados vários tickets em postos de combustíveis, que teriam sido repassados a eleitores.

Jornal Midiamax