Política

Bernal visita deputados e diz que não vai se ajoelhar para vereador

Ex-prefeito de Campo Grande e presidente regional do PP, Alcides Bernal visitou os deputados do partido nesta quarta-feira (27) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul e afirmou lamentar a decisão do vereador Valdir Gomes de deixar a sigla, mas disse que não se ajoelharia para pedir ao parlamentar que ficasse. A visita aconteceu […]

Evelin Cáceres Publicado em 27/03/2019, às 13h12 - Atualizado às 17h57

O ex-prefeito Alcides Bernal (Foto: Arquivo Midiamax)
O ex-prefeito Alcides Bernal (Foto: Arquivo Midiamax) - O ex-prefeito Alcides Bernal (Foto: Arquivo Midiamax)

Ex-prefeito de Campo Grande e presidente regional do PP, Alcides Bernal visitou os deputados do partido nesta quarta-feira (27) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul e afirmou lamentar a decisão do vereador Valdir Gomes de deixar a sigla, mas disse que não se ajoelharia para pedir ao parlamentar que ficasse.

A visita aconteceu após os deputados afirmarem ir a Brasília na próxima semana pedir organização do partido à nacional. Isso porque o vereador Valdir Gomes anunciou que deixaria a sigla ‘por pressão de Bernal’.

O líder do PP não comentou sobre ser apontado pelo parlamentar como motivo da saída. “O partido não está contente com a saída do Valdir, mas também não pode obrigar uma pessoa a fica onde não quer. Qual partido quer abrir mão de um parlamentar? O que não pode é eu me ajoelhar e pedir para ele ficar. Não vou me submeter a um constrangimento desnecessário”.

Questionado sobre a ida dos parlamentares a Brasília para pedir organização da sigla no Estado, Bernal chamou o fato de desvio de atenção para alguma denúncia. “Isso mais parece conversa fiada para distrair a atenção para algo que está acontecendo e não pode ser ventilado na imprensa”, sem dar mais detalhes sobre o assunto.

Sobre 2020, Bernal disse que ainda não há um nome definido para disputar pela Prefeitura de Campo Grande. Mas adiantou que está conversando com uma mulher, que teria mandato. “Eu tenho experiência administrativa, mas o nome será definido nas convenções. Também tenho que resolver minha situação no STJ [Superior Tribunal de Justiça]”, disse.

O ex-prefeito também não descartou a possibilidade de assumir uma vaga em Brasília. “A Bia Cavassa está pensando em disputar as eleições para a prefeitura de Corumbá. Mas eu teria que pensar sobre o assunto”, questionado se abriria mão de concorrer ao cargo de prefeito e assumir vaga na Câmara dos Deputados.

Jornal Midiamax