Política

Zé Teixeira não descarta presidência da Assembleia e cita Londres como candidato

Ainda faltam pouco mais de três meses para eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, já que os deputados estaduais eleitos só tomarão posse em 1º de fevereiro de 2019. O atual 1º secretário da Casa não descarta disputar a presidência. “Os 24 (deputados) eleitos estão com nome colocado (na disputa). O maior prestígio de […]

Ludyney Moura Publicado em 18/10/2018, às 11h48 - Atualizado em 15/07/2020, às 04h14

Disputa por sucessão de Mochi pode ser feira por deputados 'experientes' (Foto: Divulgação/Victor Chileno/ALMS)
Disputa por sucessão de Mochi pode ser feira por deputados 'experientes' (Foto: Divulgação/Victor Chileno/ALMS) - Disputa por sucessão de Mochi pode ser feira por deputados 'experientes' (Foto: Divulgação/Victor Chileno/ALMS)

Ainda faltam pouco mais de três meses para eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, já que os deputados estaduais eleitos só tomarão posse em 1º de fevereiro de 2019. O atual 1º secretário da Casa não descarta disputar a presidência.

“Os 24 (deputados) eleitos estão com nome colocado (na disputa). O maior prestígio de um parlamentar é presidir a Casa e os 24 têm direito a isso”, afirmou Zé Teixeira (DEM), reeleito este ano para seu sétimo mandato na Assembleia.

O democrata, que atualmente ocupa a 1ª secretaria, destacou algumas ações da gestão atual, que desempenha ao lado de Junior Mochi (MDB), presidente da Casa, como o 1º concurso da história da Assembleia.

Segundo Zé Teixeira, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul é a que ‘menos dá despesas ao país’.

Na avaliação do parlamentar, apesar de todos os eleitos estarem apto a disputar a presidência, ele aponta o ex-deputado, que retornará à Casa em 2019, Londres Machado (PSD), como um ‘forte concorrente’ na disputa pela sucessão de Junior Mochi.

Jornal Midiamax