Política

Vereadores aprovam suplementação de R$ 98 milhões e reajuste de auditores da Prefeitura

Os vereadores de Campo Grande em votação na manhã desta terça-feira (30), aprovaram 13 projetos de lei em regime de urgência e outros em segunda discussão. Dentre os em urgência, foi aprovado o Projeto de Lei 9.106/18 que autoriza a suplementação de crédito no valor de quase R$ 98.398.000,00. A urgência na votação do projeto […]

Vinícius Costa Publicado em 30/10/2018, às 15h41

Foto: Câmara Municipal
Foto: Câmara Municipal - Foto: Câmara Municipal
Vereadores aprovam suplementação de R$ 98 milhões e reajuste de auditores da Prefeitura
Foto: Câmara Municipal

Os vereadores de Campo Grande em votação na manhã desta terça-feira (30), aprovaram 13 projetos de lei em regime de urgência e outros em segunda discussão. Dentre os em urgência, foi aprovado o Projeto de Lei 9.106/18 que autoriza a suplementação de crédito no valor de quase R$ 98.398.000,00.

A urgência na votação do projeto foi um pedido do secretário municipal de finanças, Pedro Pedrossian Neto, que esteve na Câmara nesta manhã e disse que o valor seria usado para quitações de dívidas, investimentos, construção de UBSFs (Unidades Básicas de Saúde da Família) e CEM (Centro de Especialidades Médicas).

Outro projeto aprovado em regime de urgência, é o projeto de Lei 9.088/18 que reajusta os salários dos ocupantes de cargos efetivos na área da saúde e do quadro do Poder Executivo. O pedido da categoria para igualar com os vencimentos dos médicos.

O secretário de finanças afirmou que esse reajuste será feito de maneira escalonada e fará com que o salário chegue próximo ao valor pretendido.

Aprovação

O projeto de autoria do vereador Carlão teve aprovação onde altera o nome de uma rua no bairro Monte Castelo e a praça no Vila Almeida também teve seu nome alterado. Obteve aprovação também o projeto para criação de Programa de Capacitação Técnica e Profissionalizante para o Menor Infrator, projeto de autoria de Junior Longo.

Por fim, o projeto 9.019/19 de autoria da Mesa Diretora foi aprovado onde revoga a Lei 1.960, de maio de 1981 e declara de modo que o Centro de Recuperação Esperança seja de utilidade pública municipal.

Jornal Midiamax