Política

PT tenta fazer ‘chicana política’ com Judiciário, diz Geraldo Resende

Deputado cita proximidade de desembargador pró-Lula e PT

Joaquim Padilha Publicado em 09/07/2018, às 12h00

None
PT tenta fazer 'chicana política' com Judiciário, diz Geraldo Resende
Deputado enxerga aparelhamento de Estado a favor de partidos (Reprodução: Câmara dos Deputados)

O deputado federal Geraldo Resende (PSDB) disse nesta segunda-feira (9) que ficou “estupefato” diante da tentativa do PT em garantir a soltura do ex-presidente Lula (PT), por meio de um pedido de habeas corpus ao desembargador Rogerio Favreto.

“Eu fiquei estupefato com a manobra política dos deputados do PT, em conluio com alguém que estpa hoje como desembargador, com todo esse aparelhamento que infelizmente os partidos políticos fazem com o Estado brasileiro”, disse Resende.

O parlamentar relembrou que Favreto, que concedeu habeas corpus ao ex-presidente neste domingo (8), foi filiado ao Partido dos Trabalhadores, exerceu cargo no governo Lula e recebeu o posto de desembargador por nomeação da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

“Se aproveitaram usando um desembargador que não era afeito à ação, porque estava de plantão”, disse o deputado. “Aquilo ontem mostra claramente a contribuição nefasta que o PT faz em desmoralizar um poder que deveria estar imune a esse tipo de chicana política, o Judiciário”.

Resende parabenizou ainda o presidente do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), desembargador Thompson Flores, por suspender o provimento do habeas corpus e manter Lula preso. “Foi muito triste tudo, porém a decisão corajosa do presidente do Tribunal colocou tudo nos trilhos”.

Para o deputado, a saída de Lula da prisão só levaria ao “descrédito” do Judiciário. Resende nega que haja perseguição política ao petista. “Ele recorreu em todas as instâncias e em todas as instâncias já se negou o que eles queriam”, afirma o tucano.

Jornal Midiamax