Política

Pré-candidatos à Presidência falam de morte de Marielle, menos Bolsonaro

Lula, Marina, Ciro e Alckmin pediram investigações rigorosas

Joaquim Padilha Publicado em 16/03/2018, às 11h25

None

Lula, Marina, Ciro e Alckmin pediram investigações rigorosas

O assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) ocorrido na última quarta-feira (14) repercutiu entre os principais pré-candidatos à Presidência da República. Apenas o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) disse que não se manifestaria sobre o caso.

Todos os outros pré-candidatos mais bem posicionados nas pesquisas eleitorais, se posicionaram sobre o assunto: Ciro Gomes (PDT), Lula (PT), Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PSDB).

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva lamentou a morte da socialista e pediu investigações sobre a execução. “Temos que protestar duramente e exigir que o governo do RJ preste conta sobre o assassinato de Marielle”, disse o petista.

Marina Silva também pediu mais investigações sobre o caso. “As autoridades precisam abrir investigações rigorosas. Minha solidariedade nesse momento de perda e dor. Que Deus possa consolar a família, amigos e companheiros de militância”.Pré-candidatos à Presidência falam de morte de Marielle, menos Bolsonaro

Geraldo Alckmin declarou que “o assassinato da vereadora Marielle Franco revolta o Brasil inteiro”, e que o “crime bárbaro precisa ser rapidamente esclarecido, com os responsáveis punidos severamente”.

A opinião também é compartilhada por Ciro Gomes, que afirmou que “esta é uma situação grave que deve ser apurada rapidamente e com profundidade”, e pediu apoio à luta de Marielle “por um Brasil mais justo e contra a discriminação”.

Jornal Midiamax