Política

Mochi recua e retira de pauta votação de reajuste de servidores estaduais

Projeto só deve ser submetido a votação após audiência pública que discutirá reajuste

Joaquim Padilha Publicado em 03/04/2018, às 13h38

None

Projeto só deve ser submetido a votação após audiência pública que discutirá reajuste

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado Junior Mochi (PMDB), retirou da pauta desta terça-feira (3) a votação do projeto de reajuste salarial de 3,04% aos 75 mil servidores do Estado, após pedido do Fórum dos Servidores Públicos Estaduais.

A requisição se baseou no fato de que a votação estava programada para ocorrer nesta manhã, antes de uma audiência pública entre os servidores programada para as 14h, que iria justamente discutir as particularidades do projeto de reajuste.

Nesta manhã, na sessão do Legislativo, o deputado João Grandão (PT) fez uma requisição para que um dos coordenadores do Fórum, Thiago Mônaco, fosse incluso nas falas na tribuna. A princípio, Mochi foi irredutível quanto à inclusão do sindicalista porque segundo o presidente da Casa, o requerimento para inclusão de oradores nas sessões da Assembleia deveria ter sido feito com 48h de antecedência, conforme determina o código regimental da Casa. Mochi recua e retira de pauta votação de reajuste de servidores estaduais

Além disso, Mochi alegou que apenas um orador por sessão poderia ser admitido via requerimento. Na última quinta-feira (29), a deputada Mara Caseiro pediu a inclusão do presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis na sessão desta terça, o que já foi aprovado pelos parlamentares.

Dessa forma, segundo Mochi, apenas a deputada poderia retirar o requerimento e dar lugar ao coordenador na tribuna. Entretanto, a parlamentar não estava presente nessa sessão.

Em contrapartida, o deputado Cabo Almi pediu que, em respeito aos servidores, que pelo menos fosse realizada a audiência pública antes da votação do projeto. O pedido foi repetido pelo líder do governo na Casa, deputado Rinaldo Modesto (PSDB), em respeito à audiência. A reivindição atende pedido do Fórum, que organiza uma manifestação contra a votação do projeto nesta manhã.

Em resposta ao deputado, Mochi retirou de pauta a votação do projeto de lei de ofício, que será votado nesta quarta-feira (04). A FETEMS se organiza em frente à Assembleia nesta manhã para um almoço, seguido da audiência pública às 13h. 

Jornal Midiamax