Política

Mochi chama de ‘Trem da Alegria’ evento de Assembleias em destino turístico

Evento acontecerá, novamente, em um destino turístico

Ludyney Moura Publicado em 26/04/2018, às 12h52 - Atualizado às 18h32

Foto: Divulgação/Luciana Nassar/ALMS
Foto: Divulgação/Luciana Nassar/ALMS - Foto: Divulgação/Luciana Nassar/ALMS
Por Ludyney Moura e Evelin Cáceres

Durante a sessão desta quinta-feira (26) na Assembleia Legislativa, o presidente da Casa, deputado Junior Mochi (MDB) chamou de ‘Trem da Alegria’ a conferência anual da Unale (União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais), que acontecerá entre os dias 9 a 11 de maio em Gramado (RS).

Mochi afirmou que a escolha de um destino turístico para realização do evento pode reforçar a imagem de descrédito das Assembleias para com a população. Apenas um deputado sul-mato-grossense irá ao evento.

“É uma crítica à nossa instituição. São essas atitudes que tem descredibilizado classe política no nosso país”, disparou Mochi.

O representante da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul será o deputado Lídio Lopes (PEN), que deve levar um requerimento em nome da Casa pedindo que os próximos eventos da Unale aconteçam em Brasília, por questões logísticas e para facilitar a interlocução com o Congresso Nacional.

O presidente da Assembleia disse que o legislativo tem questões mais importantes para tratar, e citou a necessidade de reforma tributária, mais aporte de recursos para Estados e Municípios, e lembrou quem em 2017 a conferência da Unale foi em outro destino turístico, Foz do Iguaçú (PR).

O deputado Barbosinha (DEM) reforçou a fala do presidente, e disse que alguns assuntos de relevância poderiam ser tratados pelos deputados estaduais e já levados direto para o Congresso, caso a conferência acontecesse em Brasília. Isso, segundo ele, destravaria pautas importantes para o país e para as próprias Assembleias.

“Se não as Casas Legislativas ficam só aprovando moções e nomes de ponte, porque parece que isso está na moda, e uma casa de prestação de homenagens, criando leis de mês verde, amarelo, rosa, azul”, concluiu Barbosinha.

Jornal Midiamax