Política

Giroto, Amorim e mais dois estão em presídio da Capital após decisão do STF

Quatro mulheres alvos da prisão cumprirão medida em casa

Aliny Mary Dias Publicado em 08/05/2018, às 17h49 - Atualizado às 18h03

None

Já estão no Centro de Triagem, no complexo penitenciário do Jardim Noroeste, em Campo Grande, o ex-deputado federal e ex-secretário de Obras do Estado, Edson Giroto e mais três implicados na Operação Lama Asfáltica. A prisão dos quatro homens e também de quatro mulheres investigadas foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Giroto, Flávio Schrocchio, Wilson Roberto Mariano e João Amorim se apresentaram na superintendência da Polícia Federal por volta das 15 horas desta terça-feira (8). Pouco tempo depois, eles foram encaminhados em van da corporação para o Imol (Instituto de Odontologia Legal).

Após serem submetidos a exame de corpo de delito, os quatro foram levados para o Centro de Triagem, onde chegaram por volta das 17h30 de hoje. A imprensa não teve acesso aos presos, que foram levados pela van da PF.

As quatro mulheres alvos da decisão do STF, Rachel Rosana Portela Giroto, Mariane Mariano, Ana Paula Amorim Dolzan e Elza Cristina Araújo dos Santos ficarão detidas em casa, para cumprimento de mandado de prisão domiciliar.

Não há previsão de quanto tempo os oito implicados na Lama Asfáltica permanecerão presos. Advogado de cinco alvos, Valeriano Fontoura afirmou que vai recorrer à turma do STF para tentar mudar a decisão que levou novamente os investigados para cadeia. Benedicto Figueiredo, advogado de João Amorim, Ana Paula e Elza, também afirmou que recorrerá ao Supremo com agravo regimental, mesma estratégia da defesa de Giroto.

Jornal Midiamax