Política

Eventual aliança de André e Reinaldo pode beneficiar ‘o novo’, avalia Odilon

  Após o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) declarar que o PSDB está conversando com o MDB, do ex-governador André Puccinelli, o pré-candidato do PDT ao governo estadual, Odilon de Oliveira, acredita que essa eventual aliança pode beneficiá-lo. “Vai ser a união da falta de indícios de implantação do novo com o antigo, não vai ter […]

Ludyney Moura Publicado em 07/05/2018, às 13h08 - Atualizado às 13h11

None

Após o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) declarar que o PSDB está conversando com o MDB, do ex-governador André Puccinelli, o pré-candidato do PDT ao governo estadual, Odilon de Oliveira, acredita que essa eventual aliança pode beneficiá-lo.

“Vai ser a união da falta de indícios de implantação do novo com o antigo, não vai ter projeto com sustentação”, declarou o juiz federal aposentado ao Jornal Midiamax.

Apesar de avaliar um eventual benefício a ‘candidatos com o seu perfil’, caso o atual e o ex-governador definam uma aliança para disputa das eleições de outubro, Odilon vê essa possibilidade como remota.

“Não acredito que o André vá se unir ao Azambuja, não acredito na aliança. Os estilos pessoais são diferentes, até os contatos entre eles tem sido conflitantes”, argumentou o pedetista.

O pré-candidato, que pretende disputar sua primeira eleição aos 69 anos, aposta que o eleitor deseja o que ele chama de ‘novo’, pessoas sem um histórico de vida pública, tampouco nomes sem envolvimentos em supostos esquemas de corrupção, uma realidade de candidatos de várias siglas.

“As pessoas estão entendendo que o mais importante não é o partido, que o mais relevante é político”, finalizou Odilon, que alegou ainda que a preocupação de sua pré-candidatura é “fazer uma aliança com o povo”.

Jornal Midiamax