Política

Em zona eleitoral problemática, fila de espera varia de 5 minutos a quase 3 horas

Os eleitores da zona eleitoral da escola Raul Sans de Matos, na rua 13 de maio, têm enfrentado um transtorno para votar neste domingo (7). No mesmo local, enquanto eleitores de determinada seção esperam cinco minutos, em outra, a demora chega a quase três horas. A escola é um grande ponto de votação e tem […]

Mylena Rocha Publicado em 07/10/2018, às 12h02 - Atualizado às 12h50

Foto: Guilherme Cavalcante
Foto: Guilherme Cavalcante - Foto: Guilherme Cavalcante

Os eleitores da zona eleitoral da escola Raul Sans de Matos, na rua 13 de maio, têm enfrentado um transtorno para votar neste domingo (7). No mesmo local, enquanto eleitores de determinada seção esperam cinco minutos, em outra, a demora chega a quase três horas.

Em zona eleitoral problemática, fila de espera varia de 5 minutos a quase 3 horas
Sandra vota no local há 20 anos e se surpreendeu com a demora.. (Foto: Guilherme Cavalcante)

A escola é um grande ponto de votação e tem eleitores dos bairros Vila Glória, Vila Carvalho, Monte Líbano e do Centro. Até quem vota há décadas no mesmo local se surpreendeu com a confusão. “Eu voto aqui há 20 anos e isso nunca aconteceu. Esperei 2h45 na fila. É uma eleição com muitos candidatos para escolher, aí coloca a biometria e não funciona. Além disso, tem três seções em uma urna só. Eu espero que resolvam isso no segundo turno”, lamenta a professora Sandra Sanches, de 45 anos.

Embora algumas seções têm pouca fila e um tempo de espera de 10 minutos, em outras, a demora chega a quase três horas. Em três seções, há apenas uma urna para os eleitores. Além disso, problemas na identificação da biometria também testam a paciência dos eleitores. Quando a urna falha na identificação da biometria, o presidente da seção só pode liberar o voto sem a digital depois de quatro tentativas.

Em zona eleitoral problemática, fila de espera varia de 5 minutos a quase 3 horas
Local de votação costumava ser tranquilo, mas falha nas urnas provoca fila neste domingo. (Foto: Guilherme Cavalcante)

A professora Patrícia Saad, de 41 anos, chegou à escola por volta das nove horas e esperou mais de duas horas na fila. Ela contou que os eleitores reclamam da biometria, que não funciona para alguns. O engenheiro agrônomo Hélio Gonda, de 57 anos, diz que o principal problema é o fato de ter três seções com apenas uma urna. “Eu voto aqui desde sempre e nunca teve fila, agora é este transtorno sem fim”, reclama. O engenheiro também passou duas horas na fila.

Alguns eleitores da escola Raul Sans de Matos foram remanejados para a escola Geraldo Castelo, onde a espera também é motivo de reclamações. No local, o tempo na fila também tem variação: entre 10 minutos e uma hora. Segundo um dos eleitores, o problema é que a urna não consegue ler a digital dos idosos, que são prioridade e ‘trancam’ a fila.

Jornal Midiamax