Política

Em entrevista, Temer diz que tem até julho para decidir sobre reeleição

Presidente diz que manifestações negativas não o desmotivam

Joaquim Padilha Publicado em 04/05/2018, às 13h02

(Brasília - DF, 02/05/2018) Entrevista para Empresa Brasil de Comunicação (EBC).
Foto: Marcos Corrêa/PR
(Brasília - DF, 02/05/2018) Entrevista para Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Foto: Marcos Corrêa/PR - (Brasília - DF, 02/05/2018) Entrevista para Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Foto: Marcos Corrêa/PR

Em entrevista à EBC, o presidente Michel Temer (MDB) afirmou que manifestações negativas, como a que ocorreu no 1º de Maio, quando prestou solidariedade às vítimas do incêndio em São Paulo, não interferem em decisões que pretende tomar.

Na ocasião, houveram agressões verbais contra o presidente. “Eu achei que seria falta de autoridade eu não comparecer [ao local onde o prédio desabou]. Lamento, mas tenho de enfrentar”, disse.

Questionado se a reação negativa de alguns presentes não afetaria sua intenção de disputar as eleições de outubro, o presidente foi claro: “Não seria este fato que me faria desistir da reeleição”. Temer acrescentou que tem até julho para decidir.

Para Temer o que poderia impedir sua reeleição seria a presença de muitos candidatos. “ Eu posso não ir para a reeleição na medida em que eu comece a perceber o seguinte: você tem muitos candidatos”, afirmou ainda.

“Você tem de fazer o eleitor fazer suas opções”, prosseguiu “Você tem alguém que o representa de extrema direita, outro que o representa de extrema esquerda. Tem que ter alguém que represente o centro. Para o eleitor, é muito importante”.

Esta foi a primeira vez que o presidente Michel Temer concedeu entrevista à EBC (Empresa Brasileira de Comunicação). Vários veículos da empresa questionaram sobre temas como economia, política e diplomacia internacional.

Jornal Midiamax