Política

Deputados destacam credibilidade do DATAmax e projetam crescimento de candidatos

Siufi lembrou de acertos do Instituto

Ludyney Moura Publicado em 12/04/2018, às 15h31

None

Siufi lembrou de acertos do Instituto

Deputados estaduais comentaram, durante a sessão desta quinta-feira (12), o resultado da pesquisa do Instituto DATAmax, com índice de rejeição dos pré-candidatos, divulgada pelo Jornal Midiamax, e ressaltaram a credibilidade do resultado do levantamento.

“Confio no levantamento do DATAmax, é único Insituto que cravou resultados nas últimas eleições, mas esses índices (do pré-candidato do MDB ao governo estadual, André Puccinelli) vão melhorar”, disse o deputado Paulo Siufi (MDB).

Na visão do emedebista, boa parte dos eleitores ainda não sabem da candidatura do ex-governador, e projeta um crescimento assim que a campanha, de fato, começar.

Para o líder do governo na Assembleia, deputado Rinaldo Modesto (PSDB), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) tem bons índices na Capital. “Com a campanha as pessoas vão ver que existem obras nos 79 municípios. Os professores têm os melhores salários do Brasil. Esse investimento todo em infra e pessoa vai fazer com que ele cresça (nas pesquisas de intenção de votos)”, frisou o tucano.

A deputada Mara Caseiro (PSDB) argumentou que a campanha ainda não começou, e que muitos candidatos terão condições de apresentar proposta, fazendo com que os índices se alterem.

Lama Asfáltica

O emedebista Renato Câmara e o petista Pedro Kemp citaram as investigações da PF no âmbito da Operação Lama Asfáltica como fatores que influenciam a rejeição de Puccinelli na pesquisa divulgada.

“Ele (André) faz o enfrentamento (das críticas) com a pré-candidatura, que tem por objetivo dar explicações a essas críticas. Quando as pessoas perceberem os dois lados da moeda vão entender que não é bem assim”, argumentou Câmara.

Já Kemp, que ressaltou que atualmente a população está mais atenta ao debate político, principalmente no que tange à corrupção, afirmou o candidato petista ao governo, Humberto Amaducci, ex-prefeito de Mundo Novo, tem ‘experiência e condições de fazer enfrentamento político e crescer (nas pesquisas)’.

Rejeição

Nesta quinta-feira (12) o Jornal Midiamax divulgou resultado do levantamento que mede a rejeição do eleitor aos candidatos apresentados na chamada pesquisa estimulada, quando entrevistador apresenta alternativas de candidatos ao eleitor.

O ex-governador do Estado e ex-prefeito da Capital André Puccinelli (MDB) lidera com 32,2% em índice de rejeição entre os entrevistados, mais que o dobro do segundo colocado, o atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB), com 12,6%.

Em seguida aparecem Suel Ferranti (PSTU), com índice de rejeição de 5,8%; Odilon de Oliveira, com 4,6%; Luiz Henrique Mandetta (DEM), com 4,1%; Humberto Amaducci (PT), com 3,7%; Adauto Garcia (PRTB), com 2,7%; João Alfredo Daniezi (PSOL), com 2,1%.

Como a margem de erros é de 3,5% para mais ou para menos, entre Suel Ferranti e Adauto Garcia, todos estão tecnicamente empatados.

Entre os moradores da Capital, 13,6% rejeitam todos os candidatos ao governo; 2,4% não rejeitam nenhum e 16,2% não sabem ou não responderam.

Nas duas últimas eleições, em 2014 e 2016, o DATAmax ‘cravou’ o resultado final das urnas. Foram entrevistados 804 eleitores em Campo Grande, entre os dias 5 a 8 de abril e a margem de confiança da pesquisa é de 95%.

A pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral, tanto em âmbito estadual quanto federal, sob os números MS-09178/2018 e BR-08909/2018. Como já fez em eleições anteriores, o DATAmax disponibiliza todas as informações e detalhes, bem como material da pesquisa, para consulta dos partidos políticos que manifestarem oficialmente interesse nos dados.

Jornal Midiamax