Política

Cármen Lúcia suspende efeito de ações nas universidades

A ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Cármen Lúcia suspendeu os atos de fiscais eleitorais que entraram em 20 universidades na última quinta (25). A ordem que partiu de juízes eleitorais obrigou as instituições a remover manifestações contra o fascismo. Segundo os juízes estava sendo praticado propaganda eleitoral ilegal, a ação gerou a reação do […]

Raira Rembi Publicado em 27/10/2018, às 11h46 - Atualizado em 28/10/2018, às 10h24

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo. (Foto: reprodução/Agência Brasil)
A ministra Cármen Lúcia, do Supremo. (Foto: reprodução/Agência Brasil) - A ministra Cármen Lúcia, do Supremo. (Foto: reprodução/Agência Brasil)

A ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Cármen Lúcia suspendeu os atos de fiscais eleitorais que entraram em 20 universidades na última quinta (25). A ordem que partiu de juízes eleitorais obrigou as instituições a remover manifestações contra o fascismo.

Segundo os juízes estava sendo praticado propaganda eleitoral ilegal, a ação gerou a reação do Judiciário. Os presidentes do STF Dias Toffoli e do TSE Rosa Webber criticaram possíveis abusos e desrespeito à autoridade universitária durante as operações fiscais.

Segundo o jornal O Globo, a medida da ministra Cármen Lúcia ainda precisa passar pela corte. Na sua decisão ela também suspende as decisões das autoridades que determinam o recolhimento de documentos. Assim como interrupções de aulas, debates, manifestações de professores e alunos universitários.

Jornal Midiamax