Política

Bluma vai ouvir aliados e decidir ‘racionalmente’ quem apoiar no 2° turno

Derrotado nas urnas neste domingo (7), Marcelo Bluma (PV) diz que agora tudo recomeça do zero e vai se reunir com os partidos aliados – Rede e PCdoB -, para definir se apoiam Odilon de Oliveira (PDT), Reinaldo Azambuja (PSDB), ou ficam neutros na campanha de segundo turno ao Governo do Estado. “Amanhã cedo vamos […]

Richelieu Pereira Publicado em 07/10/2018, às 21h33 - Atualizado às 21h36

Marcelo Bluma (PV) durante Debate Midiamax. (Foto; Marcos Ermínio)
Marcelo Bluma (PV) durante Debate Midiamax. (Foto; Marcos Ermínio) - Marcelo Bluma (PV) durante Debate Midiamax. (Foto; Marcos Ermínio)
Bluma vai ouvir aliados e decidir ‘racionalmente’ quem apoiar no 2° turno
Marcelo Bluma (PV) durante Debate Midiamax. (Foto; Marcos Ermínio)

Derrotado nas urnas neste domingo (7), Marcelo Bluma (PV) diz que agora tudo recomeça do zero e vai se reunir com os partidos aliados – Rede e PCdoB -, para definir se apoiam Odilon de Oliveira (PDT), Reinaldo Azambuja (PSDB), ou ficam neutros na campanha de segundo turno ao Governo do Estado.

“Amanhã cedo vamos nos reunir para fazer uma avaliação para o segundo turno desse cenário colocado em Mato Grosso do Sul”, disse Bluma ao Jornal Midiamax, após o fim da apuração. “O apoio no segundo turno funciona como respeito ao eleitor que escolheu esses dois candidatos. Quero ouvir todos os partidos que estavam juntos para a gente definir com bastante racionalidade”.

O candidato pelo PV disse que percebeu um efeito que há anos não se via, que foi a “impressionante” onda do presidenciável Jair Bolsonaro, que alavancou candidaturas desconhecidas e com pouca estrutura de campanha.

Além disso, destacou a campanha mais curta, que causou dificuldade para Bluma alcançar o estado inteiro em suas andanças.

Resultado

Com 100% das urnas apuradas em Mato Grosso do Sul, os candidatos Reinaldo Azambuja (PSDB) e Odilon de Oliveira (PDT) se enfrentarão no segundo turno. Em primeiro lugar ficou Reinaldo com 44,61% e o pedetista Odilon com 31,62%.

Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ao todo, 1.876.929 milhão de eleitores foram às urnas. A abstenção ficou em 21,22%, os votos brancos somaram 4,65% e os nulos 7,88%.

Reinaldo Azambuja teve 576.993 mil votos válidos enquanto Odilon de Oliveira conquistou 408.969 votos. O desempenho dos demais candidatos assim: Junior Mochi (MDB) com 11,61%, Humberto Amaducci (PT) com 10,26%, Marcelo Bluma (PV) com 1,28% e João Alfredo (PSOL) com 0,63% dos votos.

Jornal Midiamax