Política

Bancada federal define emendas para MS e Moka diz que eleito terão que brigar por liberação

Às vésperas do término da atual legislatura, a bancada federal de Mato Grosso do Sul definiu apresentação de 15 emendas para LOA (Lei Orçamentária Anual) de 2019, que garantem recursos para obras como o contorno de Três Lagoas e do Aeroporto de Dourados. “As emendas definidas pela bancada, em consenso, estarão na Lei Orçamentária da […]

Ludyney Moura Publicado em 31/10/2018, às 10h44 - Atualizado em 01/11/2018, às 09h07

(Foto: Divulgação / Luís Carlos Campos Sales / ACS Moka
(Foto: Divulgação / Luís Carlos Campos Sales / ACS Moka - (Foto: Divulgação / Luís Carlos Campos Sales / ACS Moka

Às vésperas do término da atual legislatura, a bancada federal de Mato Grosso do Sul definiu apresentação de 15 emendas para LOA (Lei Orçamentária Anual) de 2019, que garantem recursos para obras como o contorno de Três Lagoas e do Aeroporto de Dourados.

“As emendas definidas pela bancada, em consenso, estarão na Lei Orçamentária da União para 2019, providência que posso garantir, na qualidade de relator, ficando a cargo da próxima bancada federal do estado brigar para a liberação desses recursos”, afirmou o senador Waldemir Moka (MDB), coordenador geral da bancada e relator geral da LOA-2019.

As emendas apresentadas pela bancada também contemplam aquisição de equipamentos de saúde, custeio de hospitais, segurança pública, educação e infraestrutura.

Além das obras no contorno de Três Lagoas, que vai atender a região mais industrializada do Estado, e do Aeroporto da maior cidade do interior, as emendas também garantirão dinheiro para recapeamento de ruas em Campo Grande e, segundo assessoria de Moka, obras na rodoviária da Capital.

Os parlamentares também apresentaram uma emenda para continuidade das obras na chamada rodovia ‘sul-fronteira’ e na BR-419, além de dinheiro para compra de maquinário agrícola para atender municípios sul-mato-grossenses.

“Por lei, as emendas destinadas à saúde, segurança e educação têm prioridade para liberação e, dessa forma, esses recursos contam com mais possibilidades na hora das definições dos órgãos federais”, explicou Moka.

Há emendas para garantir mais recursos para as duas universidades federais em Mato Grosso do Sul, a UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul) e UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), e para o Hospital Regional em Dourados.

De acordo com a assessoria do senador, além dele, estiveram presentes na reunião o também senador Pedro Chaves (PRB), representante da senadora Simone Tebet (MDB), e os deputados federais Mandetta (DEM), Tereza Cristina (DEM), Vander Loubet (PT), Geraldo Rezende (PSDB), Dagoberto (PDT) e Fábio Trad (PSD).

Jornal Midiamax