Política

Após ataque com tiros, Prefeitura de Curitiba pede transferência de Lula

É a segunda vez que órgão pede transferência de ex-presidente

Joaquim Padilha Publicado em 28/04/2018, às 16h45

None

A Prefeitura de Curitiba pediu novamente que a Justiça Federal transfira o ex-presidente Lula (PT) de onde está encarcerado. O pedido foi feito neste sábado (28), após um ataque a tiros ter ferido dois militantes em um acampamento pró-Lula na capital.

Lula está preso no prédio da Superintendência da Polícia Federal há três semanas. Desde que foi preso, militantes acampam próximo ao prédio, pedindo a soltura do presidente.

Após o ataque ao acampamento Marisa “Letícia”, a Polícia Civil afirmou que vai investigar o caso. Mas não apenas o tiroteio causou o incômodo da Prefeitura. O órgão também mencionou, em comunicado oficial, transtornos causados pelos militantes do acampamento.

“O local oferece risco, transtorno à população, aos funcionários da própria PF, e atrapalha a rotina de prestação de serviços aos brasileiros que precisam da emissão de passaportes”, afirmou o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN).

Neste sábado, após o ataque com tiros, militantes pró-Lula fecharam uma rua próxima à sede da PF. Os manifestantes queimaram pneus na pista, impedindo a passagem de ônibus para o terminal Santa Cândida, de grande circulação na capital paranaense.

No último dia 13, a Prefeitura de Curitiba já tinha pedido a transferência de Lula. O órgão alegava que a medida traria de volta “a ordem, o direito de ir e vir e a segurança da população”. O pedido entretanto foi negado pela Justiça.

Jornal Midiamax