Política

Zeca, Vander e Delcídio são citados por marqueteiros em esquema de caixa dois

Sigilo foi retirado nesta quinta

Diego Alves Publicado em 12/05/2017, às 01h19

None

Sigilo foi retirado nesta quinta

Os deputados federais Zeca do PT e Vander Loubet (PT) e o ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido) foram citados em esquema de caixa 2 do Partido dos Trabalhadores em delação premiada do casal de publicitários João Santana e Mônica Moura, cujo sigilo foi retirado nesta quinta-feira (11) pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.Zeca, Vander e Delcídio são citados por marqueteiros em esquema de caixa dois

As informações remetidas à primeira instância dos estados dizem respeito, sobretudo, à atuação dos ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci, bem como do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, na intermediação de dinheiro de caixa 2 (doação não declarada) da Odebrecht para campanhas locais.

Nenhuma das petições diz respeito à abertura de novos inquéritos, mas solicitam que as informações prestadas pelos marqueteiros sejam incluídas em investigações já em andamento no STF ou sejam remetidas para análise da Justiça Federal de cinco estados: Paraná, Sergipe, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Com isso, as declarações de João Santana e Mônica Moura, que em sua maioria relatam pagamentos ilícitos oriundos da empreiteira Odebrecht, irão se somar às investigações contra ao menos três parlamentares: os senadores Gleisi Hoffmann (PT-SP), Marta Suplicy (PMDB-SP) e Lindbergh Farias (PT-RJ).

Entre as 22 petições, três dizem respeito a Dilma Rousseff: uma por sua suposta tentativa de obstruir a Lava Jato; outra por benefícios pessoais que teria recebido; e uma terceira relacionada a irregularidades nas suas campanhas de 2010 e 2014 à Presidência.

Jornal Midiamax