Política

VÍDEO: deputados de MS comemoram rejeição de urgência da reforma trabalhista

Seriam necessários 257 votos para a aprovação

Diego Alves Publicado em 18/04/2017, às 23h27 - Atualizado em 18/07/2020, às 00h38

None
zeca-dagoberto-vander.jpg

Seriam necessários 257 votos para a aprovação

Os deputados Vander Loubet (PT), Zeca do PT e Dagoberto Nogueira (PDT) comemoram em postagens no Facebook, a rejeição do regime de urgência da reforma trabalhista após votação nesta terça-feira (18) na Câmara dos Deputados. 
Os outros deputados federais da bancada de MS, Carlos Marun (PMDB), Geraldo Resende (PSDB), Mandetta (DEM) e Tereza Cristina (PSB) votaram a favor da urgência. 

Para que a tramitação fosse acelerada, seriam necessários 257 votos para a aprovação, mas a base aliada só conseguiu mobilizar 230 deputados favoráveis à urgência da matéria. O pedido teve 163 votos contrários. Com isso, o projeto terá que ser discutido e votado na comissão especial da reforma trabalhista antes de ser levado para apreciação no plenário.

“O governo golpista sofreu uma grande derrota, a toque de caixa, colocaram em regime de urgência para hoje, a reforma trabalhista. Reforma trabalhista que você conhece, que tira direitos, rasga constituição, retrocede o Brasil décadas e décadas, com relação as conquistas históricas que o povo trabalhador desse país teve”, disse Zeca.

“O governo golpista acaba de sofrer uma grande derrota, não conseguiu juntar nem sua base de apoio e foram derrotados no regime de urgência. Isso mostra a importância de nós continuarmos atentos”, argumentou Vander.
“Estamos vendo uma aberração o governo tenta nos impor uma reforma trabalhista sem discussão”, falou Dagoberto. Vídeo, 1, 2, 3.

Jornal Midiamax